Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
31.7 ° C
34.8 °
30.9 °
89 %
5.1kmh
40 %
Ter
32 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaPutin retribuirá em breve visita de Xi para dar continuidade às boas...

      Putin retribuirá em breve visita de Xi para dar continuidade às boas relações, diz Kremlin

       

      O Presidente russo deslocar-se-á à China nos próximos meses para se encontrar com o homólogo chinês, que visitou Moscovo em março passado, a fim de dar continuidade à boa dinâmica das relações bilaterais, anunciou ontem o Kremlin. “É claro que a visita de [o Presidente russo, Vladimir] Putin [à China] está na ordem do dia, cujo calendário teremos ainda de determinar exatamente”, disse o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov, na tradicional conferência de imprensa diária. O senador russo Andrei Denisov, primeiro vice-presidente da Comissão para os Assuntos Internacionais, disse à agência noticiosa estatal TASS, a partir de Pequim, que o chefe de Estado chinês, Xi Jinping, tinha dito à presidente do Senado russo, Valentina Matviyenko, que esperava Putin em outubro próximo. “É um momento absolutamente oportuno para manter a dinâmica do desenvolvimento das relações bilaterais russo-chinesas”, afirmou o porta-voz do Kremlin. Peskov reiterou que a interação entre Moscovo e Pequim nunca foi dirigida contra países terceiros, mas para beneficiar os povos russo e chinês. O porta-voz do Kremlin sublinhou que a agenda da visita de Putin à China incluirá temas “já claros” e “bastante volumosos”, como o comércio bilateral, a cooperação económica e a situação global e regional. Peskov indicou que a Rússia e a China têm uma visão semelhante da essência das relações internacionais e que, por conseguinte, existem “boas perspectivas” para “um maior debate e uma interação construtiva”.

      Em Fevereiro de 2022, pouco antes do início da invasão militar russa da Ucrânia, Putin e Xi Jinping proclamaram em Pequim a “amizade sem limites” entre os dois países. Em Março deste ano, durante a visita de Xi Jinping à Rússia, o líder chinês tentou convencer Putin da sua iniciativa de paz para o conflito na Ucrânia composto por 12 pontos e, segundo o Financial Times, advertiu o homólogo russo contra a utilização de armas nucleares. No início de Julho, e numa reação a estes dados divulgados, Peskov disse que não podia confirmar estes factos, mas afirmou que foram fornecidas muitas informações sobre a visita e que “tudo o resto é ficção”. A par da actual visita de Matviyenko à China, o primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, também esteve recentemente em Pequim para retomar as consultas a este nível. Entretanto, do lado chinês, o ministro da Defesa, Li Shangfu, visitou Moscovo em abril e, em maio, o enviado especial da China para a região euro-asiática, Li Hui, deslocou-se à capital russa para apresentar o plano de paz da China para a Ucrânia e as perspetivas de resolução do conflito.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau