Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.9 ° C
31.9 °
30.9 °
79 %
4.1kmh
40 %
Sáb
31 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeEdifício do Hotel Estoril

      Edifício do Hotel Estoril

      A história dos projectos não construídos de Siza Vieira em Macau passa também pela reconversão do Hotel Estoril, em 2015. Na altura, Alexis Tam, então secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, incumbiu o prémio Pritzker de redesenhar o espaço, voltando atrás na decisão no ano seguinte. A culpa foi do “medo das pressões de alguns arquitectos que se acham donos do território”, declara Carlos Castanheira, coautor do projecto.

       

      Em 2015, Alexis Tam, então secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, convidou Álvaro Siza Vieira para desenhar um novo Hotel Estoril, na Praça do Tap Seac. Siza Vieira era favorável à demolição do edifício inaugurado na década de 1960, incluindo a fachada, que contém um painel de azulejos.Em 2016, o Governo de Macau voltou atrás e retirou o convite a Siza Vieira.

      “No caso do Hotel Estoril, houve um pouco de medo das pressões de alguns arquitectos que se acham donos do território e que acham que eles é que têm de fazer tudo; a política não teve força suficiente para se impor”, justifica, ao PONTO FINAL, Carlos Castanheira, coautor do projecto e parceiro de Siza Vieira nomeadamente nos projectos na Ásia ao longo das duas últimas décadas.

      O secretário [Alexis Tam] veio a Portugal, tivemos uma reunião muito simpática e ele estava muito entusiasmado. Depois, eu marquei a minha visita e, quando cheguei a Macau para a reunião, o senhor muito simplesmente disse que tinham mudado de ideias e que já não queriam que fizéssemos o projecto”, recorda. Carlos Castanheira descreve a situação como “muito frustrante” e “uma morte à nascença”.

      O edifício estava ao abandono desde os anos 90. Houve alterações internas e aquilo estava estragado”, lembra, apontando que o projecto de Siza previa que o espaço fosse uma instalação cultural, de forma acompletar o que já existia.

      Tomei conhecimento da decisão em organizar um concurso para o projecto respectivo, decisão que naturalmente aceitei, comunicando-o ao excelentíssimo secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, disse o arquitecto Siza Vieira em 2016, após se ter tornado público o recúo do Governo face ao projecto do prémio Pritzer.

      Em 2020, recorde-se, o Governo de Macau decidir fazer do edifício do Hotel Estoril a nova Biblioteca Central. Para isso, promoveu um concurso internacional que acabou por ser ganho pelo ateliê neerlandês Mecanoo, que pretende reinterpretar a fachada original do edifício.