Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.9 ° C
31.9 °
30.9 °
79 %
4.1kmh
40 %
Sáb
31 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeCasos suspeitos de violência doméstica baixam consideravelmente para 39 em 2022

      Casos suspeitos de violência doméstica baixam consideravelmente para 39 em 2022

      No ano anterior, foram registados 81 casos suspeitos de violência doméstica, enfrentando um acréscimo de 43 casos em comparação com 2020. O número de casos suspeitos de violência doméstica registado em 2022 foi de 3,3 por mês, em média, revelou o Conselho para os Assuntos das Mulheres e Crianças, que reuniu pela primeira vez este ano.

      Dados recentes sobre casos de violência doméstica registados em Macau, em 2022, mostram que o número de casos suspeitos de violência doméstica foi de 39, sendo a maioria relativa à violência conjugal, com um total de 19 casos, 16 de casos de violência contra crianças e três de casos de violência contra idosos, revelou o Conselho para os Assuntos das Mulheres e Crianças (CAMC), que reuniu pela primeira vezeste ano, na passada sexta-feira, no Salão de Conferências Confúcio da Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ).

      O número de casos suspeitos de violência doméstica registado em 2022 foi de 3,3 por mês, em média, com uma redução significativa relativamente a 2021, onde foram registados 81. “Os vogais concordaram, na generalidade, com a eficiência dos trabalhos de prevenção e tratamento da violência doméstica. Além disso, os vogais discutiram e apresentaram opiniões e sugestões sobre as medidas favoráveis às famílias, a intervenção precoce das crianças, a participação dos jovens nos assuntos sociais, entre outras questões”, referiu o Instituto de Acção Social (IAS) em comunicado.

      O Governo não tem agenda para rever a lei da violência doméstica. A garantia foi dada, recentemente, tanto pela secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong, aos deputados em sessão da Assembleia Legislativa, como também pelo presidente do IAS em resposta a uma interpelação escrita da deputada da AL Lo Choi In. Hon Waigarantiu que o instituto a que preside tem realizado, “de forma contínua, a revisão, análise e discussão da situação da execução da Lei de violência doméstica”, pelo que não está nos horizontes do Executivo qualquer alteração ao articulado.

      O estudo do Relatório sobre a Condição da Mulher em Macauteve um inquérito que foi desenvolvido por quatro áreas, nomeadamente, a igualdade de géneros, a situação de emprego e a participação na sociedade, a situação da família, e o estado de saúde e estado físico e mental. Relativamente aos indicadores de diferença de géneros a nível mundial e aos indicadores de desigualdade de géneros, Macau está muito à frente de vários países e regiões da Ásia”, considera o relatório,cujas conclusões gerais “serão publicadas posteriormente.

      O presidente do IAS, Hon Wai, referiu ainda na reunião do conselho que foram concluídas integralmente as 36 medidas de curto prazo dos objectivos do desenvolvimento das Mulheres de Macau e, este ano, o CAMC irá desenvolver as restantes oitodas 24 medidas de médio prazo e quatro das 19 medidas de longo prazo, das quais a lista de verificação relativa à transversalização da perspectiva de género que será divulgada e implementada a título experimental em alguns serviços públicos no segundo semestre, por forma a facilitar a utilização dos serviços públicos aquando da elaboração de políticas, da realização de actividades, etc., promover os dois géneros para que beneficiem dos recursos da sociedade e oportunidades, criando assim uma atmosfera social harmoniosa.