Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeRelatório diz que nível de leitura e literacia dos alunos de Macau...

      Relatório diz que nível de leitura e literacia dos alunos de Macau é superior à média global

      Foram revelados os resultados do Progresso no Estudo Internacional de Leitura e Literacia (PIRLS) 2021, que mostram que, apesar da pandemia e de um ligeiro decréscimo na pontuação, o nível dos alunos de Macau mantém-se superior à média global. Segundo um inquérito feito no âmbito do estudo, os alunos de Macau são mais disciplinados do que a média a nível global e a região tem “abundantes” recursos de ensino relativos à leitura.

       

      Os resultados do Progresso no Estudo Internacional de Leitura e Literacia (PIRLS) 2021 foram divulgados e as conclusões dizem que o nível dos alunos de Macau mantém-se superior à média global.

      O PIRLS é organizado pela instituição académica “Associação Internacional para a Avaliação dos Resultados Educativos (IEA)” e a participação de Macau foi organizada pela Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ), contando com mais de 5.000 alunos do 4.º ano do ensino primário de 58 escolas locais.

      Esta é a segunda vez que Macau participa neste estudo, sendo que a primeira foi na edição de 2016. Em ambas as edições, os resultados foram semelhantes. A pontuação global dos alunos de Macau na presente edição foi de 536 e em 2016 tinha sido 546 pontos. A média global dos alunos é de 500 pontos. Macau fica, assim, num lugar entre o 9.º e o 15.º.

      Estes resultados mostram “um aparente desempenho consistente dos alunos de Macau na capacidade de leitura à edição anterior e um desenvolvimento constante desta capacidade”, lê-se num comunicado da DSEDJ.

      O relatório ressalva que nesta edição do PIRLS 40% dos países e regiões que participam no estudo foram afectados pela pandemia, o que os levou a ajustar os planos do teste, o que afectou a comparabilidade dos dados. Além disso, a epidemia afectou, ainda, no geral, a eficácia da aprendizagem da leitura dos alunos em todo o mundo. Entre os 32 países ou regiões que participaram em duas edições consecutivas do estudo, cerca de 70% deles registaram uma queda na sua pontuação.

      Por outro lado, o resultado do estudo indica que a diferença no desempenho em leitura entre alunos de famílias de diferentes níveis socioeconómicos de Macau é o mais pequeno entre todos os países ou regiões participantes. Aliás, mesmo que os alunos fossem de famílias de nível socioeconómico relativamente mais baixo, os seus desempenhos foram superiores à mediana internacional.

      No comunicado, a DSEDJ também recorda que “Macau também foi reconhecido como uma das principais economias do mundo em termos da igualdade no acesso à educação em outro estudo internacional – PISA 2018 (Programa Internacional de Avaliação de Alunos 2018) sobre o desempenho de aprendizagem de alunos de 15 anos do ensino secundário”.

      “Os resultados de ambos os estudos confirmam, consistentemente, que o sistema educacional de Macau continua a proporcionar uma educação de qualidade e equitativa aos alunos locais, desde o ensino primário ao secundário”, afirma a DSEDJ.

      O PIRLS também analisou os questionários destinados aos directores das escolas, docentes, encarregados de educação e alunos. Os resultados destes inquéritos mostram que, em geral, os alunos de Macau são mais disciplinados que a média. Mais de 60% dos directores de escola na comunidade internacional acham que não existem problemas com a disciplina dos alunos, enquanto quase 80% dos directores de escolas em Macau acham que os alunos são disciplinados, não apresentando nenhum problema.

      Em relação ao ambiente escolar, na comunidade internacional, mais de 70% dos docentes consideram que o ambiente é seguro, enquanto quase 90% dos docentes de Macau consideram que a sua escola está localizada numa “comunidade segura, onde os docentes se sentem seguros e os alunos se podem concentrar nos seus estudos”.

      O inquérito também revelou que “são abundantes os recursos de ensino relativos à leitura”. Segundo as conclusões do estudo, a nível internacional, apenas cerca de 50% das escolas têm uma colecção de livros com mais de 2.000 volumes na biblioteca da escola. Em Macau quase todas as escolas têm a sua biblioteca e 90% das escolas têm mais de 2.000 volumes nas suas bibliotecas. Além disso, “o número de computadores educativos disponíveis nas escolas [de Macau] está entre os números mais altos do mundo”. É ainda referido que em Macau a participação dos docentes em formações sobre desenvolvimento profissional relacionada com a leitura é activa.

      Por outro lado, o estudo revelou que “existe um espaço de melhoramento sobre os interesses e os hábitos de leitura dos encarregados de educação de Macau, bem como o nível de participação em actividades de leitura em famílias de alunos em idade pré-escolar e que também o interesse e a confiança na leitura dos alunos de Macau necessitam de ser reforçados”.