Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Dom
28 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeVong Hin Fai, Chui Sai Cheong e Chui Sai Peng impedidos de...

      Vong Hin Fai, Chui Sai Cheong e Chui Sai Peng impedidos de irem depor no caso das Obras Públicas

      A Assembleia Legislativa (AL) não terá dado autorização para que Vong Hin Fai, Chui Sai Cheong e Chui Sai Peng fossem depor em tribunal no caso das Obras Públicas, que tem Li Canfeng e Jaime Carion como principais arguidos. Chui Sai On, antigo Chefe do Executivo, também já tinha sido impedido de testemunhar.

      A Assembleia Legislativa (AL) não terá dado autorização para que os deputados Vong Hin Fai, Chui Sai Cheong e Chui Sai Peng fossem depor no caso das Obras Públicas. A notícia foi avançada ontem pela TDM Canal Macau.

      Segundo a TDM Canal Macau, estava previsto que Vong Hin Fai fosse ouvido na tarde de ontem no Tribunal Judicial de Base, no entanto, o deputado não esteve presente na sessão uma vez que a AL não deu autorização.

      Em meados de Dezembro do ano passado tinha também sido noticiado que Chui Sai On, antigo Chefe do Executivo, Lau Sio Io, antigo secretário para os Transportes e Obras Públicas, e Raimundo do Rosário, actual secretário da tutela, foram chamados a testemunhar no julgamento das Obras Públicas, no entanto, não foram autorizados a depor em tribunal pelo Chefe do Executivo.

       

      TESTEMUNHAS NEGAM PRESSÕES

      Na sessão de ontem do julgamento foram ouvidos funcionários do Governo. De acordo com a Rádio Macau, uma das testemunhas foi uma funcionária dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) que elaborou pareceres que indicavam que o projecto do Alto de Coloane poderia destruir a montanha e provocar impacto no crescimento da flora da zona. A DSPA pediu que o projecto fosse alterado, mas tal não chegou a acontecer.

      A acusação disse ainda que Li Canfeng e Jaime Carion foram subornados para darem luz verde ao projecto, pressionando depois funcionários públicos para garantir a aprovação. A funcionária da DSPA assegurou em tribunal que nunca foi pressionada e que, além disso, os pareceres do organismo não são vinculativos.

      Ontem também testemunhou um outro funcionário das Obras Públicas que acabou por ser substituído durante o processo da elaboração da planta de alinhamento oficial do projecto do Alto de Coloane depois de fazer pareceres desfavoráveis, uma vez que os terrenos fariam parte do plano de ordenamento de Coloane. Esta testemunha também não sinalizou ter sido alvo de pressões.

      A acusação do Ministério Público (MP) a Li Canfeng dz que o antigo director dos Serviços de Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) terá recebido vários benefícios ilícitos da parte dos promotores imobiliários Sio Tak Hong e William Kuan. Nas sessões do julgamento, o antigo governante tem negado as acusações. Jaime Carion e Li Canfeng são acusados pelo Ministério Público da prática de crimes como associação secreta, associação criminosa, branqueamento de capitais e abuso de poder.