Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
24.9 ° C
24.9 °
24.9 °
94 %
5.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
26 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeAssociação dos Jovens Macaenses quer cooperar com o Fórum Macau para promover...

      Associação dos Jovens Macaenses quer cooperar com o Fórum Macau para promover valores macaenses

      A Associação dos Jovens Macaenses (AJM) visitou na passada terça-feira o Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, tendo sido recebida pelo Secretário-Geral do Fórum Macau, Ji Xianzheng.

      Citado em comunicado, António Monteiro, presidente da associação, destacou aos responsáveis do Fórum Macau a importância de trabalhar com o organismo de forma a promover os valores macaenses através de futuras actividades a serem realizadas conjuntamente pelas duas entidades, “podendo tal constituir uma janela de oportunidade para os jovens macaenses, dada a diversidade e a rede de que beneficia a comunidade macaense em Macau, desde a cultura, a educação, o bilinguismo, a área empresarial e dos negócios, o desporto”, por exemplo.

      O responsável salientou também as colaborações próximas e existentes com as entidades de matriz macaense, portuguesa e chinesa em Macau e também da diáspora macaense no exterior, bem como a realização das visitas anuais de intercâmbio cultural na República Popular da China e o Encontro dos Jovens Macaenses, que se realizava antes da pandemia do Covid-19.

      Edith Jorge, presidente do conselho fiscal da AJM, afirmou também a necessidade da aposta na área educativa e da formação, dada a parceria existente da AJM com a Associação do Colégio Sino-Luso Internacional, encontrando-se esta última a desenvolver o projecto Gerações – Escola Internacional, situada em Coloane.

      Na resposta, Ji Xianzheng disse esperar contar com os jovens macaenses e a AJM para os futuros trabalhos do Fórum Macau. O secretário-geral do Fórum Macau destacou também a relevância da cultura macaense “como parte identitária de Macau, sem esquecer o bilinguismo”, acrescentando que os jovens macaenses podem ser “para a própria plataforma existente de Macau, entre a China e os Países de Língua Portuguesa”.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau