Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
30.9 ° C
32.9 °
30.9 °
84 %
5.1kmh
40 %
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °
Dom
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioLusofoniaInstituto brasileiro e universidade de Taiwan vão estudar 6G

      Instituto brasileiro e universidade de Taiwan vão estudar 6G

      A Universidade Nacional Yang Ming Chiao Tuang (NYCU), de Taiwan, anunciou a assinatura de um acordo com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) do Brasil para desenvolver tecnologia móvel de sexta geração (6G). Num comunicado divulgado na terça-feira, a NYCU revelou que o acordo pretende apostar no desenvolvimento de tecnologia em ‘open source’, ou código aberto, que qualquer pessoa poderia usar e modificar.

      A cooperação com o Inatel vai envolver um grupo de cerca de 20 investigadores da NYCU, que irá também analisar quando o possível impacto do 6G em questões éticas e no desenvolvimento da sociedade.

      As redes 6G vão ser “importantes” para suportar novos tipos de comunicação, nomeadamente pelo tato ou por holograma, Internet para a indústria 5.0, a Internet dos objetos e comunicações entre veículos autónomos, disse em 2021 Manuel Ricardo, coordenador do cluster de redes de sistemas inteligentes do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência.

      Em 12 de Outubro, a fabricante de telecomunicações finlandesa Nokia anunciou que irá liderar a segunda fase do projeto europeu Hexa-X, lançado em 2020 para impulsionar a liderança europeia no desenvolvimento do 6G. Esta nova fase, denominada Heza-X-II e financiada novamente pela Comissão Europeia, tem como objectivo a criação de uma plataforma pré-padronizada que sirva de base para o futuro ‘standard’ da tecnologia 6G.

      O NYCU sublinha que o acordo com o Inatel, sediado em Santa Rita do Sapucaí, no sul do estado de Minas Gerais, é fruto de uma iniciativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Taiwan. A ilha tem actualmente 14 aliados diplomáticos, com a Nicarágua a ser o mais recente país a cortar relações com Taipé, em Dezembro, para poder encetar laços diplomáticos com a China.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau