Edição do dia

Sexta-feira, 12 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.9 ° C
27.1 °
25.9 °
89 %
2.6kmh
20 %
Sex
28 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Autoridades anunciam um total de 451 casos. Existem 21 amostras positivas em...

      Autoridades anunciam um total de 451 casos. Existem 21 amostras positivas em revisão

      No dia em que o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus admitiu a possibilidade de isentar bebés e crianças de um próximo teste em massa, o território conheceu mais 37 casos positivos de Covid-19, um resultado provisório, uma vez que as autoridades sanitárias ainda analisam 21 amostras que deram positivas na testagem que terminou ontem ao final da tarde. Encontrado caso positivo em trabalhador de lar na zona da Praia do Manduco e a situação já está devidamente sinalizada.

       

      O número de casos de infecção por SARS-CoV-2 confirmados em Macau subiu para 451 nas últimas horas, anunciaram ontem as autoridades na habitual conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus sobre o ponto de situação da Covid-19 no território. O número total pode ainda ser um pouco maior, uma vez que, ao fecho desta edição, ainda se encontravam em análise 21 amostras de resultado preliminar positivo.

      A chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde, Leong Iek Hou, referiu ainda que existe mais um grupo de infectados que tem ligação directa com o primeiro grupo e garantiu que podem surgir novidades nos próximos dias. “Novas políticas anti-epidémicas dependem dos resultados finais do teste em massa.”

      Ao início da manhã de ontem as autoridades haviam anunciado um total de 414 casos confirmado, todos com a subvariante BA.5.1 da estirpe Ómicron, considerada “altamente transmissível” pelas autoridades locais. Entre esses 414 casos positivos, 105 apresentaram sintomas, sendo os 309 restantes assintomáticos. A paciente de 60 anos que, no dia anterior, havia sido sinalizada como o primeiro caso grave deste surto, após medicação, “encontra-se em condição estável”.

      Instada a comentar a possibilidade de bebés e crianças ficarem isentos de uma próxima ronda de testes em massa, Leong Iek Hou sublinhou que isso poderá ser uma possibilidade desde que as crianças não tenham qualquer histórico de saída de casa. Ainda assim, esclareceu, a situação “ainda está a ser avaliada”. “Se novas rondas de testagem em massa forem anunciadas, qualquer decisão sobre esse assunto será revelada”, garantiu a médica, que acrescentou que, “naturalmente, para as crianças que estão em zonas de controlo essa medida não se aplicará”.

      Ao fecho desta edição, os dados revelavam que haviam sido testadas 602.966 pessoas, sendo que cerca de metade (306.397) devolveram resultados negativos de infecção por SARS-CoV-2. Um total de 9.256 pessoas foram colocadas em observação médica, incluindo 414 casos positivos, 1.332 contactos próximos, 6.216 pessoas com uma via comum, 353 contactos próximos secundários, 295 contactos gerais e 446 acompanhantes.

      As autoridades sanitárias voltaram a pedir à população para que evite sair de casa, tendo manifestado, juntamente com as autoridades policiais que, embora não seja proibido o uso de máscaras ou aglomerações em locais públicos, é “altamente recomendado” que isso não suceda como forma de controlar o actual surto na comunidade. “Recordo que a propagação da variante Ómicron em Macau é altamente transmissível e pode levar a graves efeitos adversos para a saúde”, notou Leong Iek Hou.

      A responsável dos Serviços de Saúde também explicou o que se passa o sistema de marcação de testes para as zonas-alvo, que ainda mantêm muita informação em chinês, dificultando quem não lê a língua de poder marcar o seu teste. “Estamos a par da situação e a tradução virá no curto-prazo”, revelou a médica.

      Leong Iek Hou admitiu que um dos casos positivos revelados ontem é de um trabalhador de um lar na zona da Rua da Praia do Manduco. A chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde lembrou que a grande maioria dos lares continua em sistema de circuito fechado, mas pode haver algum caso que isso não esteja a suceder. “Os lares não são zonas amarelas ou vermelhas, mas aplicamos as medidas de circuito fechado porque estamos a falar de pessoas que fazem parte de um grupo de risco”, referiu, sublinhando que a medida “é muito importante” e que as autoridades estão a acompanhar o caso do trabalhador que testou positivo.

      Entretanto, a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) anunciou ontem que tem em marcha a implementação de diversas medidas anti-epidémicas, em todos os casinos de Macau, a partir das 7h do próximo dia 1 de Julho que passam, por exemplo, pela exigência da exibição de certificado negativo de teste de ácido nucleico, realizado nas últimas 48 horas. Ao mesmo tempo, a entidade vai exigir aos trabalhadores dos casinos o resultado negativo no teste rápido de antígeno realizado antes de se apresentarem ao trabalho, ou antes de entrarem nas salas de jogo.

      As autoridades sanitárias fizeram saber ainda que as despesas dos trabalhadores dos casinos com os testes de ácido nucleico acima referidos serão suportadas pelas concessionárias ou subconcessionárias, a quem cabe ainda o fornecimento aos mesmos dos kits de teste rápido de antigénio. “A DICJ continuará a fortalecer as inspecções de prevenção da pandemia de Covid-19 nos casinos e insta estes que tomem várias medidas de prevenção para garantir a saúde e a segurança dos clientes e dos trabalhadores dos casinos”.

       

      PONTO FINAL