Edição do dia

Sábado, 18 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.9 ° C
28.9 °
26.9 °
78 %
3.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
24 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaGrupo chinês lança no Brasil geração de energia a partir de resíduos...

      Grupo chinês lança no Brasil geração de energia a partir de resíduos sólidos

      A empresa chinesa Power Construction Corp (PowerChina) anunciou a assinatura de um contrato para o lançamento, no Brasil, do primeiro projeto de geração de energia a partir de resíduos sólidos da América do Sul. O contrato de engenharia, fornecimento e construção prevê que a unidade possa tratar até 870 toneladas de resíduos sólidos por dia e gerar 19,1 megawatts de eletricidade, de acordo com um comunicado divulgado na segunda-feira.

      O projecto, a cargo de uma subsidiária, a SEPCO1 Electric Power Construction Co. Ltd, vai nascer numa área com 37.237 metros quadrados em Barueri, no estado de São Paulo, referiu o grupo estatal chinês. Esta foi a única proposta de geração de energia a partir de resíduos sólidos a ser aceite no leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) do Brasil, decorrido em 30 de Setembro passado.

      A PowerChina garantiu o projecto vai implementar tecnologia avançada de incineração e descontaminação de resíduos sólidos.

      De acordo com a página da Aneel na Internet, a proposta prevê um investimento de 520 milhões de reais (86,5 milhões de euros), sendo que a unidade terá de começar a fornecer eletricidade até 1 de Janeiro de 2026. A Aneel comprometeu-se a pagar à empresa responsável pelo projecto, a Foxx URE–BA Ambiental S.A. 549,35 reais (91,4 euros) por megawatt produzido em Barueri.

      A unidade deverá gerar eletricidade suficiente para abastecer quase 80 mil residências, indicou, em agosto passado, a Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos. O projecto é uma parceria público-privada entre a Foxx URE–BA Ambiental e a Prefeitura de Barueri, num investimento público de 183,4 milhões de reais (30,5 milhões de euros).

      Desde 2018 que o acionista maioritário da Foxx URE–BA Ambiental é o grupo chinês Zheneng Jinjiang Environment Holding Co. Ltd, especializado na geração de energia a partir de resíduos sólidos.

      Desde Dezembro que o Brasil atravessa a maior crise hídrica dos últimos 90 anos, com os níveis de água das barragens a cair para níveis históricos e uma redução da energia gerada pelas hidroelétricas, o que obrigou o Governo a contratar termoelétricas caras para evitar um apagão.

      Numa pesquisa, divulgada em 3 de Janeiro pelo Banco Central do Brasil, analistas do mercado financeiro previram que a economia do país cresça 0,36% em 2022, em parte devido à seca que tem afetado a geração de electricidade e a agricultura.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau