Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
14.9 ° C
14.9 °
14.9 °
77 %
8.8kmh
40 %
Qui
15 °
Sex
16 °
Sáb
14 °
Dom
20 °
Seg
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China EUA e China estreitam diálogo para combater tráfico do opiáceo fentanil

      EUA e China estreitam diálogo para combater tráfico do opiáceo fentanil

      Peritos norte-americanos e chineses retomarão esta terça-feira as discussões para combater melhor a produção de componentes do fentanil, um opiáceo sintético que está a causar problemas graves nos Estados Unidos e pelos quais Washington culpa Pequim. Representantes da administração Biden adiantaram à agência noticiosa francesa AFP que estas discussões no âmbito de um grupo de trabalho sobre a luta contra os estupefacientes, que terá lugar na próxima terça-feira em Pequim, seguem-se à cimeira EUA-China de novembro passado, em São Francisco, durante a qual os presidentes dos dois países, Joe Biden e Xi Jinping, estabeleceram um diálogo que permaneceu sem solução durante anos. Segundo os norte-americanos, o Presidente chinês tinha concordado em tomar “uma série de medidas significativas para reduzir consideravelmente os fornecimentos” de componentes de fentanil provenientes da China, que transitam frequentemente através do México e dos seus cartéis de tráfico. “Durante anos, a cooperação bilateral antinarcóticos entre os Estados Unidos e a República Popular da China foi suspensa, impedindo o progresso”, afirmou uma autoridade dos EUA sob anonimato, sublinhando, contudo, que a situação mudou durante a reunião de 15 de Novembro. Washington espera que a China coopere, perseguindo empresas que fabricam precursores químicos de fentanil e reduzindo o financiamento para o comércio.

      O fentanil está a causar cerca de 100 mil mortes por ‘overdose’ por ano nos Estados Unidos, tornando-se a principal causa de morte entre pessoas de 18 a 49 anos, lembrou o responsável norte-americano. A luta contra este opiáceo sintético – que é muito mais poderoso do que a heroína -, será um dos temas da campanha presidencial americana. Desde a cimeira, a China fechou um negócio, bloqueou alguns pagamentos internacionais e retomou a troca de informações sobre entregas e tráfico, acrescentou o responsável norte-americano. A reunião, que incluirá funcionários da justiça, da segurança interna, da diplomacia e do combate ao narcotráfico dos EUA, centrar-se-á na “coordenação contínua para apoiar acções concretas” na luta contra o fentanil, adiantaram as fontes. A China e os Estados Unidos voltaram ao diálogo nos últimos meses, tendo, por exemplo, o principal diplomata de Pequim, Wang Yi, e o conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, estado reunidos em Banguecoque na semana passada.

       

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau