Edição do dia

Quinta-feira, 22 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
neblina
21.9 ° C
25.4 °
20.9 °
100 %
3.1kmh
75 %
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
20 °
Dom
21 °
Seg
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Economia Operadoras revelam interesse no concurso público para a concessão de licenças de...

      Operadoras revelam interesse no concurso público para a concessão de licenças de jogo

      As várias operadoras de jogo do território já anunciaram que querem participar no novo concurso público para a concessão de licenças de jogo. Em comunicados de imprensa enviados às redacções desde o anúncio feito em Conselho Executivo, as operadoras aproveitaram para elogiar o Governo por ter apresentado “critérios claros” em relação às alterações que pretende introduzir na revisão da lei que regula o sector.

       

      Após o Conselho Executivo ter concluído a análise da proposta do novo regime jurídico da Exploração de Jogos de Fortuna ou Azar em Casino, que será submetido à apreciação na Assembleia Legislativa, cinco operadoras manifestaram já intenção em participar no novo concurso público para a concessão de licenças de jogo.

      Num comunicado emitido, a MGM mostrou-se agradecida por ter tempo suficiente para preparar os seus planos em relação ao concurso, e afirmou o seu apoio à proposta de lei anunciado pelo Governo da RAEM, indicando que o enquadramento do diploma proporciona “uma orientação, procedimento administrativo e calendário bem definidos, optimizando o conteúdo da lei que propiciará o desenvolvimento sustentável e saudável da indústria do jogo de Macau em diante”.

      A Sands China, além de garantir o seu apoio ao quadro legal para a alteração de lei, referiu que continua a estar “optimista quanto ao futuro da indústria integrada de ‘resorts’ de Macau, e está ansiosa por apresentar a sua proposta para o concurso de concessão de licença de jogo”. Em comunicado, a operadora frisou que o Governo da RAEM forneceu orientações claras sobre algumas alterações na proposta relativamente às reacções do sector e do público em geral.

      Por sua vez, a Wynn Macau referiu que “sente-se encorajada” pelo facto de o Governo ter acelerado o processo da revisão de lei e ouvido as opiniões do público, bem como clarificou várias questões importantes. No comunicado refere que espera “trabalhar em estreita colaboração com o Governo e participar activamente no processo de concurso público”.

      A SJM Resorts, S.A. também referiu que vai participar na licitação de licenças de jogo e espera que as autoridades anunciem os detalhes sobre as novas concessões, enfatizando que a empresa vai cooperar com o trabalho do Governo da RAEM. Acrescentou que “salvaguarda resolutamente a segurança do país e de Macau” e “garante a implementação estável e duradoura do princípio “Um País, Dois Sistemas”.

      Na nota emitida pela Melco Resorts & Entertainment, foi realçado que a empresa “está empenhada em participar no concurso público para a concessão de licenças de jogo e continuará a promover a diversificação económica em Macau”, estando “plenamente confiante no desenvolvimento da indústria integrada do turismo e do lazer”. A empresa indicou ainda que o Governo da RAEM concebeu uma proposta com uma direcção clara que aperfeiçoa o quadro legal e beneficia o desenvolvimento da indústria.

      A Galaxy Entertainment Group (GEG) foi a última a manifestar-se, seguindo pelo mesmo registo das restantes. “Concordamos e apoiamos plenamente os objectivos da legislação proposta pelo Governo da RAEM, que defende que a segurança nacional e da RAEM deve ser colocada como prioridade máxima no funcionamento de casinos e actividades relacionadas com o jogo, enquanto que a diversificação económica e o desenvolvimento sustentável de Macau deve ser promovido. Acreditamos que a existência de leis e regulamentos optimizados lançará uma base sólida para o desenvolvimento estável da cidade e impulsionará o desenvolvimento sinergético da indústria do jogo, conduzindo à resiliência e diversidade económica global de Macau”, referiu o presidente da GEG, Lui Che Woo, num comunicado enviado ontem às redacções.

       

       

       

      PONTO FINAL