Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Setembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
29.4 °
27.9 °
89 %
6.2kmh
40 %
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
29 °
Dom
29 °
Seg
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Instituições de cariz social tentam elevar taxa de vacinação entre os idosos

      Instituições de cariz social tentam elevar taxa de vacinação entre os idosos

      As autoridades de saúde têm notado que a taxa de vacinação entre os idosos continua baixa e, por isso, a Santa Casa da Misericórdia de Macau e Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau (APOMAC) dizem estar a prestar atenção à situação e garantiram que a taxa de vacinação entre os seus funcionários é alta.

      A taxa de vacinação entre os idosos mantém-se baixa. Ao PONTO FINAL, responsáveis da Santa Casa da Misericórdia de Macau (SCMM) e da Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau (APOMAC) falaram sobre os esforços na promoção da vacinação junto da terceira idade.

      Recorde-se que, na conferência de imprensa das autoridades de saúde de 18 de Novembro, os responsáveis assinalaram que a taxa de vacinação no território “continua muito baixa” entre os idosos: 57,8% entre os 60 e os 69 anos, 37,1% entre os 79 e os 79 anos e 12,2% para o grupo de pessoas com idade igual ou superior a 80 anos.

      Actualmente, dos 98 idosos que residem nos lares da SCMM, apenas 15 receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19, revelou a secretária-geral da instituição, Gisela Nunes. A vogal da Comissão para os Assuntos do Cidadão Sénior explicou ao PONTO FINAL que uma parte dos idosos não administram a vacina porque “muitos sofrem de por doenças crónicas, como tensão arterial elevada e doenças cardiovasculares”, por conseguinte, sob o aconselhamento médico, não arriscam. A responsável frisou que “os idosos residentes dos lares da SCMM que possuem condição para a vacinação já estão todos vacinados”. O Lar de Nossa Senhora da Misericórdia oferece guarida aos cidadãos idosos em situação de necessidade. A representante da instituição apontou que 87% dos funcionários já estão inoculados.

      Apesar de a maioria dos funcionários estar em condições para ser vacinada, ainda há uma pequena parte que não quer administrar a vacina por motivos pessoais. Por outro lado, uma parte de funcionários que são trabalhadores não-residentes (TNR) que residem em Zhuhai, todos os dias têm de fazer viagem entre o interior da China e Macau e, de acordo com as medidas de prevenção e controlo epidémico, devem possuir obrigatoriamente o certificado de resultado negativo do teste de ácido nucleico nos últimos sete dias. Ou seja, independentemente de estarem vacinados ou não, têm de fazer o teste de ácido nucleico e apresentar o atestado de sete em sete dias, o que faz com que não sintam urgência de receber a vacina. No entanto, Gisela Nunes considera que esta não é uma solução conveniente e acredita que, mais cedo ou mais tarde, vão ter de aceitar a vacinação.

      Jorge Fão, presidente da Mesa da Assembleia Geral da APOMAC também referiu uma situação semelhante: “O pessoal que trabalha na APOMAC está todo vacinado, com raríssimas excepções devido à saúde”. No entanto, em relação da taxa de vacinação dos associados, o fundador da associação confessou que não tem dados, já que “não lhes fica bem indagar”. Porém, Fão crê que “seja um número elevado”.

      Ao questionar as associações sobre se estão a realizar acções para promover a vacinação entre os idosos, ambos os responsáveis deram respostas positivas. “Promovemos a vacina por via SMS junto de sócios e via painel luminoso à entrada da APOMAC”, disse o responsável da associação que defende os interesses dos aposentados. Quanto à SCMM, a vogal disse que a instituição já organizou sessões de apresentação, para consciencializar os idosos sobre a importância da vacinação.

      A secretária-geral destacou: “Macau é uma cidade pequena, os boatos populares circulam facilmente, tornando-se virais na comunidade”. Gisela Nunes admitiu que é verdade que alguns idosos se preocupam com os efeitos adversos e secundários, mas salientou que, com uma informação adequada, pode-se colmatar a lacuna do conhecimento e acabar com todos esses rumores.

      DEIXE UMA RESPOSTA

      Por favor escreva o seu comentário!
      Por favor, escreve aqui o seu nome