Edição do dia

Sábado, 18 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
25.1 ° C
26 °
24.9 °
83 %
2.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
24 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
24 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadePedido serviço online para facilitar chamada de táxis pretos

      Pedido serviço online para facilitar chamada de táxis pretos

      Voltou a ser pedido o lançamento de um serviço online de chamada de táxis pretos, depois da recente conclusão de uma nova ronda da adjudicação de licenças para táxis. A Associação dos Comerciantes e Operários de Automóveis espera disponibilizar nos 500 novos táxis a função de marcação online, através da aplicação Conta Única, a fim de garantir a deslocação dos residentes. Já o deputado Ngan Iek Hang quer uma plataforma unificada para pedir táxis pretos.

       

      O presidente da Associação dos Comerciantes e Operários de Automóveis de Macau, Leng Sai Vai, defende a introdução de mais medidas para facilitar o método de pedir táxis em Macau, sugerindo ao Governo que seja criado um sistema de chamada de táxis nos 500 táxis que vão entrar em serviços, cuja utilização pode ser ligada à aplicação Conta Única. Explicou que a medida pode dar prioridade aos residentes de Macau na chamada de táxis e aliviar a dificuldade em pedir táxis na cidade.

      A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego concluiu a adjudicação de dez licenças para táxis a dez empresas, podendo cada empresa solicitar a operação de 500 táxis, no máximo, durante os próximos oito anos, sendo que a última data para o início da exploração é de dez meses a contar da data de recepção da notificação de adjudicação pela sociedade adjudicatária.

      O concurso teve início em Outubro do ano passado e é a primeira vez que o Executivo lança a atribuição de licença de táxis pretos através de concurso entre sociedades comerciais interessadas, em vez de individuais. Os preços orçamentais apresentados pelas propostas variaram entre 2,8 e 3,8 milhões de patacas. Para o representante do sector, o preço “foi muito mais baixo” em comparação com o último concurso público.

      “O Governo tinha feito uma maior cedência em termos económicos e assim deveria ser feito algum progresso no modo de funcionamento”, observou. Leng Sai Vai salientou que há muito tempo que a população de Macau sofre do problema em apanhar táxis e ainda não foi divulgada a forma como serão disponibilizados os 500 táxis adicionais. “Com um preço mais baixo permitido para exploração do serviço de táxis, [as empresas] devem prestar serviços com qualidade à população e servir os residentes de Macau como o seu principal objectivo”, notou.

      Leng Sai Vai lembrou que existe o sistema de terminal inteligente em todos os táxis, sugerindo que seja acrescentada a função de pedir táxis nos terminais inteligentes, ligando ainda à aplicação “Conta Única”. “Os terminais inteligentes preveem a função de fiscalização, o que pode também eliminar as irregularidades de táxis como cobrança elevada, andar às voltas para cobrar mais tarifas e fazer marcação privada através de benefícios”, indicou.

      Além disso, o responsável apontou que a maioria dos táxis está disposta a trabalhar nas zonas turísticas porque têm mais hipóteses de receber clientes, contudo, é necessário que os 500 táxis adicionais satisfaçam as necessidades de deslocação dos residentes nos bairros residenciais, defendeu. Leng frisou que a função de chamar táxis pretos com a aplicação pode fiscalizar a disponibilização adequada dos serviços de táxis em Macau, bem como fornecer dados sobre a procura de táxis na cidade que servirão como referência para as autoridades.

      Por sua vez, o deputado Ngan Iek Hang propõe que o Governo estabeleça, em conjunto com o sector, uma plataforma unificada de reserva de táxis, “para centralizar os serviços de marcação de várias empresas de táxis [recém-adjudicadas]”, de modo a tornar o serviço de transporte de táxis mais conveniente para residentes e turistas.

      Ngan Iek Hang destacou que Macau deve tomar como referência a experiência do interior da China para criar uma aplicação onde os utentes podem pedir táxis de diferentes empresas operadoras.

      As novas operadoras de táxis são obrigadas a disponibilizar o pagamento em numerário, “Simple Pay”, cartão de crédito ou débito, aplicação móvel do BNU, UnionPay, WechatPay, Alipay e Apple Pay. O deputado aplaudiu a nova exigência para os novos táxis e espera que o Governo continue a alargar as modalidades de cobrança das tarifas de acordo com o hábito dos passageiros.