Edição do dia

Terça-feira, 21 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
24.6 ° C
24.9 °
23.7 °
100 %
4.6kmh
40 %
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
25 °
Sex
27 °
Sáb
27 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaEstados Unidos recusam inundação de produtos chineses vendidos com prejuízo

      Estados Unidos recusam inundação de produtos chineses vendidos com prejuízo

      Os Estados Unidos recusarão o afluxo de produtos chineses vendidos abaixo do custo de produção no mercado mundial, como aconteceu no passado, afirmou ontem a Secretária do Tesouro norte-americana, Janet Yellen, numa deslocação à China. Citando o exemplo do aço, há mais de dez anos, cujo influxo chinês “dizimou indústrias em todo o mundo e nos Estados Unidos”, Yellen disse aos jornalistas: “Não vou aceitar essa realidade novamente”. “Sei que estas graves preocupações são partilhadas pelos nossos aliados e parceiros, tanto das economias desenvolvidas como das economias em desenvolvimento”, acrescentou.

      Os Estados Unidos não vão tomar, porém, quaisquer medidas económicas “surpresa” em termos de segurança nacional, garantiu Yellen, que discutiu o assunto com funcionários chineses. “Se os Estados Unidos precisam de avaliar continuamente as suas medidas de segurança nacional, tendo em conta a rapidez dos desenvolvimentos tecnológicos, estamos empenhados em não tomar medidas de surpresa”, declarou, apelando igualmente à China para que seja “transparente” neste domínio.

      A “sobrecapacidade” de produção da China esteve no centro da deslocação de Yellen, que chegou a Cantão na quinta-feira e deverá deixar Pequim esta terça-feira de manhã.

      Os Estados Unidos receiam que os subsídios concedidos pelo Governo chinês a tecnologias como a energia verde, veículos elétricos e as baterias, possam conduzir a uma onda de produtos de baixo custo em todo o mundo, ameaçando os concorrentes estrangeiros nestes setores. Janet Yellen foi recebida no domingo pelo primeiro-ministro chinês, Li Qiang, e ambos manifestaram o desejo de reforçar o diálogo, apesar das diferenças entre as duas maiores potências económicas do mundo. Pequim tem afastado as preocupações sobre o seu forte apoio às suas indústrias. “As acusações de ‘excesso de capacidade’ feitas pelos Estados Unidos e pela Europa são infundadas”, disse o ministro Wang Wentao no domingo, durante uma viagem a Paris, de acordo com a agência estatal China News. O responsável afirmou que o rápido crescimento dos fabricantes chineses de veículos elétricos se deve à inovação e à eficiência das cadeias de abastecimento do país, e não aos subsídios atribuídos pelo Governo chinês.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau