Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
24.9 ° C
24.9 °
24.9 °
94 %
5.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
26 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMaioria dos adolescentes da cidade usa telemóvel antes de dormir, revela estudo

      Maioria dos adolescentes da cidade usa telemóvel antes de dormir, revela estudo

      Um inquérito a 915 jovens entre os 13 e 35 anos revelou que mais de 90% dos inquiridos têm o hábito de usar o telemóvel antes de dormir, com o uso destas tecnologias a ocupar quase um terço do tempo diário dos adolescentes, numa percentagem que aumentou desde 2022. O estudo mostrou, por outro lado, que 80% destes jovens se sentem capazes de gerir emoções negativas e sentir empatia pelos outros.

       

      Foi por ocasião do Dia Mundial do Sono, a 15 de Março, que o Gabinete Coordenador dos Serviços Sociais Sheng Kung Hui Macau divulgou os resultados do último estudo sob o efeito do uso de telemóveis na qualidade do sono dos adolescentes da cidade. Numa iniciativa realizada com o patrocínio da Fundação Macau, o “Inquérito sobre o Capital Psicológico e o Bem-Estar da Nova Geração de Macau sob a Normalização Epidémica 2023”, procurou não só fazer um levantamento do uso dos telemóveis por parte das camadas mais jovens da população local, como também averiguar qual o capital psicológico destes adolescentes. Nesse sentido, o questionário procurou descobrir se os jovens se sentem capazes de gerir situações emocionais adversas como raiva ou tristeza, e se são também empáticos para com outras pessoas e se se conseguem “colocar no lugar dos outros”.

      O inquérito foi realizado entre Junho e Setembro de 2023, envolvendo inquéritos online a uma amostra de 915 jovens de Macau com idades compreendidas entre os 13 e os 35 anos.  Os resultados revelaram que, em comparação com o ano anterior, o número médio de horas de actividades online por dia aumentou, passando agora a ocupar quase um terço do tempo diário dos adolescentes. Os mesmos dados demonstraram ainda que estes jovens recorrem mais à Internet quando estão a estudar e a trabalhar, para além do número de horas de utilização das redes sociais e outras actividades nos telemóveis.

      Mais de 90% dos adolescentes entrevistados admitiram ainda que têm o hábito de usar o telemóvel meia hora antes de adormecerem, um factor que o Gabinete Coordenador dos Serviços Sociais Sheng Kung Hui Macau quis referir que pode afectar a qualidade do sono e a capacidade de adormecer, já que “a luz azul emitida pelo ecrã impedirá a secreção de melatonina”.

      A grande maioria dos jovens que participaram no inquérito, por outro lado, demonstrou ter resiliência e bons mecanismos de auto-gestão de emoções, tendo 80% destes adolescentes indicado que conseguem facilmente colocar-se no lugar das outras pessoas. Cerca de 80% dos inquiridos concordaram ainda que são capazes de mudar o que estão a pensar quando querem “sentir mais emoções positivas (alegria, prazer)” em vez de negativas (tristeza, raiva). Isto demonstra que em Macau os adolescentes são capazes de regular as suas emoções, defendeu o mesmo gabinete.

      Numa escala de um a quatro pontos, a média do capital psicológico dos adolescentes foi de 2,83 pontos, a auto-eficácia de 2,8 pontos, a esperança de 2,84 pontos, a resiliência de 2,84 pontos, com o optimismo a obter 2,83 pontos em várias dimensões. Comparando os valores dos diferentes grupos etários, verificou-se que as pontuações de todas as dimensões do capital psicológico dos adolescentes com idades compreendidas entre os 16 e os 18 anos eram as mais elevadas, quando comparadas quer com as dos adolescentes com idades iguais ou inferiores a 15 anos, 19 a 24 anos ou com 25 anos ou mais.

      Com base nas conclusões deste estudo e na experiência dos serviços da linha da frente, o Gabinete Coordenador dos Serviços Sociais Sheng Kung Hui Macau pretende agora divulgar de forma regular informações sobre a saúde física e mental para conhecimento entre os jovens, sugerindo ainda que nos espaços juvenis da cidade sejam instaladas plataformas sensoriais com “estimulação visual, auditiva, olfactiva, táctil e cinestésica”, que ajude os jovens a processar emoções e assim reduzir a ocorrência de comportamentos auto lesivos e agressivos entre os jovens com perturbações emocionais.

      O capital psicológico, a empatia, a actividade física, sono adequado, alimentação equilibrada, passatempos e vida social em actividades e grupos são mecanismos que o mesmo gabinete diz serem essenciais na abordagem de emoções negativas como a depressão, a ansiedade e receios de perda de oportunidades. Nesse sentido, este ano está previsto o lançamento de outro inquérito centrado em questões como a actividade física, o sono adequado, a alimentação equilibrada e as actividades de interesse. Entretanto, no dia 13 de Abril, no jardim Lok Yeung, no Fai Chi Kei, o mesmo gabinete irá ainda organizar uma actividade comunitária subordinada ao tema “Partilhar a saúde das crianças”.