Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
26.8 ° C
27.9 °
26.5 °
89 %
8.8kmh
40 %
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °
Ter
26 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaHong Kong vai celebrar evento cultural de intercâmbios entre Oriente e Ocidente

      Hong Kong vai celebrar evento cultural de intercâmbios entre Oriente e Ocidente

      Hong Kong realiza em Março um evento cultural em que 30 instituições internacionais vão assinar acordos para trazer obras de arte de todo o mundo para o território, foi ontem anunciado. O bairro de West Kowloon, na antiga colónia britânica, será o palco do evento, nos dias 25 e 26 de Março, ao mesmo tempo que será inaugurada a Art Week (Semana da Arte) e a prestigiada feira internacional de arte Art Basel Hong Kong.

      A directora-geral da entidade organizadora, Betty Fung, disse que vão “participar no evento representantes de 10 dos 40 museus e centros de arte mais importantes do mundo”, como o Museu Britânico, o Museu de Versalhes, o Museu de Arte Islâmica do Qatar e o Museu Nacional de Arte de Tóquio. O objectivo do evento será “realçar o papel de Hong Kong como centro de intercâmbio cultural internacional entre o Oriente e o Ocidente”, indicou à imprensa local.

      As colaborações terão como objectivo eventos conjuntos entre museus de ambos os lados, de modo a que os custos de transporte, seguros e empréstimos possam ser divididos, acrescentaram. “Não se trata apenas do que trazemos, mas também do que oferecemos. A nossa exposição [da artista japonesa] Yayoi Kusama foi a Espanha e recebeu entre 500 mil e 600 mil visitantes no Museu Guggenheim de Bilbau, batendo o seu recorde, e agora vai a Portugal”, disse Fung.

      Por outro lado, a responsável referiu que os participantes vão debater o impacto dos espaços artísticos nos aspetos sociais e económicos das cidades, bem como o potencial de tecnologias como a inteligência artificial no setor criativo.

      Ao longo da semana cultural, o público poderá “ver as importantes mudanças que ocorreram recentemente na paisagem cultural de Hong Kong”, afirmou Fung, com a abertura do Museu M+ e do Museu Palácio, bem como a reabertura de instituições como Tai Kwun, um centro cultural numa antiga esquadra policial, Central Market, uma zona de comércio e restauração, e o Museu de Arte de Hong Kong.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau