Edição do dia

Quinta-feira, 29 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nevoeiro
18.9 ° C
18.9 °
17.9 °
77 %
3.1kmh
40 %
Qui
21 °
Sex
17 °
Sáb
16 °
Dom
20 °
Seg
22 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Terceiro ano da Zona de Cooperação Aprofundada "é crucial", diz Ho Iat...

      Terceiro ano da Zona de Cooperação Aprofundada “é crucial”, diz Ho Iat Seng

      Na sétima reunião da Comissão de Gestão da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, o Chefe do Executivo salientou a importância deste que é o terceiro ano do projecto, dado que serão agora analisados os resultados da primeira fase. Ho Iat Seng assinalou que, até aqui, a Zona de Cooperação Aprofundada “alcançou resultados frutíferos”.

       

      Realizou-se na terça-feira a sétima reunião da Comissão de Gestão da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, que contou com a presença de Ho Iat Seng, Chefe do Executivo da RAEM e também co-líder da Comissão de Gestão, e também de Wang Weizhong, governador da província de Guangdong e também ele co-chefe da Comissão de Gestão.

      Na reunião, Ho começou por destacar que, no ano passado, o projecto de Hengqin “alcançou resultados frutíferos na área da inovação institucional, conexão de regras, desenvolvimento coordenado das indústrias, integração da vida da população e preparação de equipamentos e recursos humanos para a entrada em funcionamento como zona aduaneira autónoma, apresentando uma tendência de desenvolvimento mais acelerada e eficaz, e um crescimento contínuo dos elementos de Macau”.

      O Chefe do Executivo aproveitou para sugerir que se tenha “sempre presente ‘a missão original’ para corresponder às expectativas das autoridades centrais e reforçar a confiança e determinação em prol da concretização das metas da primeira fase”. “A Comissão de Gestão não irá frustrar a confiança e a alta expectativa do Presidente Xi e do Governo Central, nem defraudar a esperança dos residentes de Guangdong e de Macau”, assegurou.

      Por outro lado, propôs que se persistisse no lema “progredir mantendo a estabilidade”. “Continuar a promover, de forma ordenada, a entrada em funcionamento da zona aduaneira autónoma e concluir com elevada qualidade as várias tarefas sobre esta matéria e a elaboração de regimes complementares, por forma a acelerar a criação de um ambiente semelhante ao de Macau, bem como impulsionar a implementação de vários serviços públicos e regalias sociais, que estejam conforme o padrão da RAEM, no sentido de tornar visíveis os resultados alcançados”, referiu.

      Em terceiro lugar, instou que se concretize “a tarefa principal do desenvolvimento de alta qualidade”, de forma a “abrir, de forma pragmática, uma nova conjuntura de diversificação industrial”. “Servir Macau e promover a diversificação de Macau são as principais prioridades do trabalho da Zona”, sublinhou o Chefe do Executivo.

      Citado numa nota oficial do Governo, Ho Iat Seng destacou que “o terceiro ano da criação da Zona é crucial, pois é o ano em que serão verificados os resultados da primeira fase da Zona em Hengqin, pelo que, todos devem esforçar-se conjuntamente para se concretizarem, com alta qualidade, as metas estabelecidas no Plano Geral e no Projecto Geral”.

      Wang Weizhong também mencionou os “resultados notáveis” alcançados desde a criação da Zona de Cooperação Aprofundada. O responsável afirmou que “todos devem estudar e pôr em prática a essência das instruções importantes do secretário-geral Xi Jinping sobre a cooperação entre Guangdong e Macau no desenvolvimento de Hengqin, bem como a mensagem transmitida nos discursos proferidos durante a sua visita a Guangdong, ter sempre em mente a intenção original de servir o desenvolvimento da diversificação adequada da economia de Macau, e fazer um bom trabalho de cooperação na exploração de Hengqin”.

      O co-chefe da Comissão de Gestão disse que se “devem fazer todos os preparativos para que se concretize, o mais rapidamente possível, a entrada em funcionamento da zona aduaneira autónoma na Zona de Cooperação Aprofundada de Hengqin, facilitando a entrada e saída de pessoas e promovendo uma circulação eficiente e conveniente de recursos entre fronteiras”. Além disso, indicou ser “necessário efectuar, da melhor forma, a introdução das indústrias e a construção de grandes projectos, continuar a atrair investimento conjuntamente, e captar de forma dinâmica quadros inovadores, com vista a reforçar ainda mais as quatro novas indústrias, bem como explorar e desenvolver as indústrias emergentes como a inteligência artificial e a economia de baixa altitude, atraindo assim mais residentes, capitais e empresas de Macau a desenvolverem-se em Hengqin”.

      Na ocasião, foram ainda apreciados, pela Comissão de Gestão, o plano de projecto de investimento de 2024 da Comissão Executiva da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin e o sistema de indicadores para a promoção de desenvolvimento da diversificação adequada da economia da RAEM pela Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, e ouvidas as apresentações sobre o progresso das acções para a concretização das metas principais da primeira fase da Zona Aprofundada de Hengqin em 2024 e a situação da implementação de uma série de políticas e medidas para acelerar a construção da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, lê-se no comunicado de imprensa.