Edição do dia

Quarta-feira, 21 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
21.9 ° C
23.9 °
21.9 °
94 %
3.1kmh
40 %
Qua
22 °
Qui
23 °
Sex
21 °
Sáb
21 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Grande China China rejeita acusação da Austrália sobre incidente com navio que causou feridos

      China rejeita acusação da Austrália sobre incidente com navio que causou feridos

      A China rejeitou a acusação da Austrália sobre uma ação “insegura e pouco profissional” de um contratorpedeiro chinês que resultou em vários mergulhadores australianos feridos, informou ontem o jornal Global Times.

       

      “As alegações da Austrália sobre uma recente interação entre navios de guerra chineses e australianos são completamente inconsistentes com os factos”, disse o porta-voz do Ministério da Defesa, Wu Qian, na segunda-feira. Wu acrescentou que Pequim “opõe-se firmemente” às declarações de Camberra e que as autoridades chinesas já apresentaram queixas formais à parte australiana.

      Segundo o porta-voz chinês, a embarcação chinesa “respeitou rigorosamente” as regras internacionais, mantendo uma “distância de segurança” em relação à outra embarcação e “não se envolveu em qualquer atividade que pudesse afetar as operações de mergulho da parte australiana”.

      “Exortamos a parte australiana a respeitar os factos, a pôr termo às acusações grosseiras e irresponsáveis contra a China, a envidar esforços no sentido de aumentar a confiança mútua e a criar uma atmosfera positiva para desenvolver melhores relações bilaterais e laços entre militares”, disse Wu.

      O Governo australiano declarou no sábado que a interação “insegura e pouco profissional” de um contratorpedeiro chinês com um navio australiano provocou ferimentos ligeiros em vários mergulhadores australianos.

      O incidente teve lugar a 14 de Novembro em águas dentro da zona económica exclusiva do Japão, quando a fragata australiana estava a realizar operações de mergulho para remover redes de pesca das suas hélices.

      A Austrália garantiu que comunicou a presença dos mergulhadores ao contratorpedeiro chinês, que, no entanto, se aproximou da zona e ativou o seu sonar “de uma forma que pôs em perigo a segurança dos mergulhadores australianos, que foram forçados a sair da água” e sofreram “ferimentos ligeiros” devido ao impacto dos impulsos submarinos.

      A China é acusada por alguns países, incluindo as Filipinas e o Vietname, de utilizar métodos agressivos na navegação nas águas do Pacífico, onde tem reivindicações territoriais. Este incidente ocorre numa altura em que os dois países estavam a tentar melhorar as relações deterioradas: no início de novembro, o primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, visitou a China, onde se encontrou com o Presidente chinês, Xi Jinping.

      Albanese descreveu a visita como um “passo importante na estabilização das relações” entre Pequim e Camberra, após anos de tensões bilaterais.

      Os laços entre Pequim e Camberra começaram a ficar tensos em 2017 por causa das leis australianas contra a interferência estrangeira, mas também com a exclusão de empresas chinesas dos serviços 5G em 2018, ao que Pequim respondeu em 2020 com duras restrições comerciais, que começou a aliviar em 2022. Lusa

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau