Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
33.2 ° C
33.2 °
33.2 °
78 %
5.2kmh
99 %
Ter
33 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeNúmero de infracções cometidas por peões aumentou desde o início do ano

      Número de infracções cometidas por peões aumentou desde o início do ano

       

      No ano passado, a média mensal de infracções cometidas por peões foi de 76. Só em Janeiro deste ano, o número subiu para 90, registando-se um aumento de 18,4%. O valor total das multas aplicadas aos peões que infringiram as regras de trânsito no mesmo mês foi de 19.200 patacas, indicou o Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) ao PONTO FINAL.

       

      Com o regresso dos turistas à cidade, o número de infracções cometidas por peões também aumenta – ainda que a maioria dos infractores seja residente. Segundo dados cedidos ao PONTO FINAL pelo Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), só em Janeiro deste ano registaram-se um total de 90 infracções cometidas por peões, o que revela um aumento de 18,4% face à média mensal de 2022.

      Das 90 infracções de peões registadas no primeiro mês do ano, em 56 casos o infractor era titular do BIR de Macau, enquanto 34 tinham outros títulos de identidade – sendo que o CPSP não indica se se tratam de turistas ou trabalhadores não-residentes.

      Em Janeiro, o valor total das multas obtidas relativo a infracções cometidas por peões foi de 19.200 patacas. Atravessar a via fora da passadeira é a infracção mais comum, tendo-se registado 78 vezes em Janeiro. Nesse mês houve também quatro casos de peões que passaram a passadeira com o semáforo vermelho. Verificou-se também dois casos de peões que tentaram atravessar a Ponte Sai Van a pé e um outro caso idêntico na Ponte da Amizade.

      No ano passado, no total, verificaram-se 914 casos de infracções cometidas por peões, ou seja, uma média mensal de 76. Das 914 infracções, 537 foram cometidas por residentes locais e 377 por titulares de outros documentos de identidade. Em 2022, o CPSP angariou 215 mil patacas em multas para este género de caso. A larga maioria das infracções também teve a ver com peões que atravessaram a via sem usar a passagem para peões.

      Em 2021 a situação foi idêntica, com uma nuance: visitantes e não-residentes foram os peões que mais infringiram as regras de trânsito (575 casos) – e não os portadores de BIR (322 casos). Nesse ano registaram-se, no total, 897 infracções de peões, ou seja, cerca de 75 por mês, e o valor das multas totalizou 222.700 patacas. Também em 2021 a generalidade das infracções teve a ver com peões que atravessaram a via fora da passadeira.

      Em 2020 a tendência foi a mesma. Registaram-se um total de 671 casos – 276 infracções cometidas por residentes e 395 por turistas ou não-residentes. O valor das multas foi de 175.200 patacas.

      Já em 2019 – ano em que Macau recebeu quase 40 milhões de visitantes e em que ainda não havia restrições epidémicas – o número de infracções cometidas por peões foi de 2.088, ou seja, uma média de 174 por mês. Este registo é quase 94% superior ao verificado em Janeiro deste ano.

      Nesse ano, 70% das infracções (1.458) foram cometidas por titulares de documentos de identidade que não o BIR de Macau. Infracções cometidas por residentes locais foram 630. No total, registaram-se quase 1.700 casos de peões que atravessaram a via fora da passadeira. Em 2019, o valor das multas totalizou 530.200 patacas.