Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioÁsiaMalásia pede ajuda à Interpol após comediante fazer piada com voo MH317

      Malásia pede ajuda à Interpol após comediante fazer piada com voo MH317

       

      A comediante Jocelyn Chia está a ser alvo de críticas após ter feito, na semana passada, uma piada sobre o desaparecimento do voo MH370 da Malaysian Airlines, num clube de comédia em Nova Iorque, nos Estados Unidos. A polícia da Malásia já pediu ajuda à Interpol para localizar a mulher.Chia, que nasceu nos Estados Unidos e cresceu em Singapura, começou a piada fazendo uma referência à rivalidade entre a ilha e a vizinha Malásia, mas acabou por brincar com o acidente que vitimou mais de 200 pessoas, em Março de 2014.

      “Quando o meu primeiro-ministro foi à televisão anunciar que vocês nos tinham expulsado, chorou porque pensou que não conseguiríamos sobreviver sem vocês”, começou por afirmar a comediante, numa referência à independência de Singapura, forçada pela Malásia. “Mas, 40 anos depois, tornamo-nos num país do primeiro mundo. E vocês? Malásia, o que é que aconteceu? Continuam a ser um país em desenvolvimento… Agora, a Malásia está a tentar aproximar-se e nós perguntamos: ‘Porque é que não nos visitaram durante 40 anos? A Malásia responde: ‘Sim, tentámos, mas os nossos aviões não podem voar'”, atirou, citada pela imprensa internacional. “O quê? O desaparecimento da Malaysia Airlines não tem piada, pois não?”, acrescentou, entre risos, rematando que “algumas piadas não aterram”.

      No sábado, o ministro da Administração Interna da Malásia, Datuk Seri Saifuddin Nasution Ismail, descreveu a piada como “insensível e ofensiva”. Já na terça-feira, o inspector-geral da polícia da Malásia, Acryl Sani Abdullah, citado pela agência de notícias malaia Bermana, avançou que as autoridades vão pedir à Interpol para obter mais informações sobre a comediante e o seu paradeiro.

      Recorde-se que o avião – que fazia a ligação entre Kuala Lumpur, na Malásia, e Beijing, na China – com 239 pessoas a bordo, a maioria cidadãos chineses, desapareceu em circunstâncias ainda não esclarecidas. Um relatório, publicado em 2018, indicou que o avião, um Boeing 777-200, mudou o seu rumo de forma manual, e que também de forma intencionada se interrompeu a comunicação com a torre de controlo, apesar de não detalhar se isto se deveu ao piloto ou por outra pessoa.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau