Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
28.1 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioUncategorizedGoverno "reconhece plenamente o importante papel da comunidade portuguesa"

      Governo “reconhece plenamente o importante papel da comunidade portuguesa”

      Por ocasião do 10 de Junho – Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas – o Chefe do Executivo saudou a comunidade portuguesa na região. No discurso proferido na Escola Portuguesa de Macau, Ho Iat Seng assinalou que a comunidade portuguesa “tem desempenhado o seu papel com total lealdade”. “O Governo da RAEM reconhece plenamente o importante papel da comunidade portuguesa”, sublinhou.

      Este ano, a recepção do 10 de Junho – Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas – aconteceu na Escola Portuguesa de Macau (EPM). O Chefe do Executivo esteve presente na cerimónia e, no discurso que proferiu, deixou saudações à comunidade portuguesa do território.

      “É um importante dia de emoção e identidade nacional para o povo português e para as comunidades portuguesas em todos os cantos do mundo. É um dia que simboliza a história longínqua e a cultura brilhante de Portugal”, começou por dizer Ho Iat Seng no seu discurso, acrescentando que as comemorações são, para si, uma “grande alegria”. “Em nome do Governo da RAEM, apresento ao povo português, aos portugueses residentes em Macau e aos macaenses, as mais cordiais saudações e sinceros votos de felicidade”, afirmou.

      No discurso, Ho Iat Seng frisou que, desde o seu estabelecimento, a RAEM tem “prestado maior importância à cooperação com Portugal, e desenvolveu um papel singular e importante no intercâmbio amistoso da China com Portugal e com os países de língua portuguesa”.

      O Chefe do Executivo lembrou que, em Abril, fez uma visita a Portugal, onde se encontrou com Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República portuguesa, António Costa, primeiro-ministro, e João Gomes Cravinho, ministro dos Negócios Estrangeiros, entre outros. Estes encontros, sublinhou Ho, “impulsionaram o alargamento do intercâmbio e cooperação nas áreas da economia e comércio, da inovação científica e tecnológica, da saúde, da cultura e do ensino da língua portuguesa, entre outras, e promovem a consolidação e o reforço da relação amigável de cooperação entre Macau e Portugal”.

      Ho Iat Seng também lembrou que este ano marca o 20.º aniversário do estabelecimento do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), e disse esperar que sejam aproveitadas as oportunidades para “elevar a cooperação económica e comercial entre a China e os países de língua portuguesa a um novo patamar e injectar uma nova dinâmica para a concretização do desenvolvimento adequado e diversificado da economia de Macau”.

      No discurso, o líder do Governo da região também notou que, depois da abertura pós-pandemia, “os diversos sectores recuperaram a vitalidade, o ambiente social torna-se positivo e dinâmico, e a economia em geral está a recuperar gradualmente”.

      “A comunidade portuguesa, enquanto parte importante da sociedade de Macau, tem desempenhado o seu papel com total lealdade e empenho no exercício das mais variadas funções, contribuindo para a construção e o desenvolvimento de Macau e para a aceleração da sua recuperação socioeconómica”, frisou, dizendo que o Executivo de Macau “reconhece plenamente o importante papel da comunidade portuguesa, e irá desenvolver as suas acções no estrito cumprimento da Lei Básica e continuar a propiciar melhores condições em prol do bem-estar de todos os residentes de Macau, incluindo da comunidade portuguesa”.

      Ho aproveitou ainda o discurso para reiterar as “vantagens singulares” de Macau, como a participação na construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, da Grande Baía Guangdong,-Hong Kong-Macau e da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin. Além disso, Macau constitui, segundo Ho Iat Seng, um “alicerce importante para a construção de ‘um Centro, uma Plataforma, uma Base’ e disponibiliza recursos culturais valiosos para promover a estratégia da diversificação adequada da economia ‘1+4′”. “Devemos continuar a potenciar a tradição de excelência da coexistência harmoniosa das diferentes comunidades e culturas, e a empenhar esforços conjuntos em prol da prosperidade e progresso de Macau”, sublinhou.

      O Chefe do Executivo também reiterou que aquilo que considera ser “a bem-sucedida prática de ‘um país, dois sistemas’ na RAEM” está “numa nova era”. “Estou convicto de que, com o forte apoio do Governo Central e em conjugação de esforços com a população, incluindo a comunidade portuguesa, Macau terá um desenvolvimento socioeconómico ainda melhor e uma multiculturalidade mais diversificada”, referiu. Em conclusão, Ho Iat Seng endereçou votos para que a amizade entre a China e Portugal “perdure para sempre”.