Edição do dia

Terça-feira, 7 de Fevereiro, 2023
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
17.9 ° C
19.9 °
17.9 °
94 %
1kmh
40 %
Ter
22 °
Qua
19 °
Qui
20 °
Sex
20 °
Sáb
20 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Jornalista João Severino lança livro biográfico onde homenageia a sua mulher

      Jornalista João Severino lança livro biográfico onde homenageia a sua mulher

      A obra, que homenageia 50 anos de casamento com Maria Ermelinda Carrascalão, aborda toda a vida do autor, incluindo os anos que viveu em Macau, mas não é polémico, garante o antigo proprietário e director do diário Macau Hoje, igualmente o rosto do famoso anúncio de televisão do Restaurador Olex, que acabou por “ajudar” a dar nome ao novo livro. Contudo, avançou, em primeira mão ao PONTO FINAL, está já a escrever outro. “Esse sim, vai ter as bombas verdadeiras, mas ficcionadas”, porque o autor assume, sem rodeios, não ter dinheiro para ir a tribunal.

      O jornalista João Severino, antigo proprietário e director do jornal Macau Hoje, vai lançar o livro “Recordador Olex” no próximo dia 13 de Dezembro, pelas 18h (hora em Portugal), no Museu do Oriente, em Lisboa, com chancela da Âncora Editora.

      A obra, que surge de uma oportunidade “ao fim de 20 anos”, e uma homenagem à sua mulher, Maria Ermelinda Carrascalão, falecida em Fevereiro de 2021. “A oportunidade surgiu ao fim de 20 anos, quando a minha saudosa mulher já muito doente me disse para descrever a minha vida e o colega Pedro Correia me convenceu a escrever. O livro, de 240 páginas, é em homenagem à minha mulher que esteve comigo 50 anos. Desejo a todos os amigos que comprem o livro, um agradecimento do coração”, começou por dizer ao PONTO FINAL o autor.

      Sempre atento e crítico a tudo o que rodeia, João Severino, no entanto, foi mais brando na escrita do “Recordador Olex”, mas, ainda assim, Macau ocupa uma fatia importante do livro, uma vez que viveu 22 anos no território. “Escrevo muito sobre Macau e em todo o livro não quis magoar ninguém, apresento alguns factos surpreendentes. Os ex-governadores e ex-secretários-adjuntos mereciam que tivesse sido muito mau”, atirou Severino.

      No entanto, desenganem-se os que pensam que João Severino amoleceu ou perdeu o seu tom mordaz, contudo, sem “agarrar o touro pelos cornos”, conforme explica. “Posso dar-te em primeira mão que já estou a escrever outro livro. Esse sim, vai ter as bombas verdadeiras, mas ficcionadas, porque não tenho dinheiro para o tribunal”.

      E porquê “Recordador Olex”? Porque, na verdade, o autor, em certa altura da sua vida, participou em filmes de publicidade, incluindo o célebre anúncio do Restaurador Olex, “que ainda hoje perdura na memória dos portugueses”. “Lutei sempre pela liberdade e pela verdade. Este livro é a memória de uma vida decorrida em vários continentes”, disse ainda.

      A apresentação do livro terá a presença de Carlos Monjardino, presidente da Fundação Oriente, de António Baptista Lopes, director da Âncora Editora e do jornalista Pedro Correia, que fará a apresentação da obra.

      João Eduardo Severino Faustino é um alentejano nascido na cidade de Évora, corria o ano de 1948. Jornalista desde 1973, passou pela rádio, pela televisão e pela imprensa. Foi membro dos Parodiantes de Lisboa, um grupo de comediantes portugueses, surgidos em 1947 e que duraram 50 anos, que criaram programas humorísticos para a rádio portuguesa.

      Para além da já referida experiência em publicidade, Severino foi também assistente de realização de diversos filmes rodados em Portugal e no estrangeiro, de onde se destaca “The Boys From Brazil”, com Gregory Peck, Laurence Olivier, James Mason e Steven Guttenberg. Foi igualmente profissional da RTP, onde entrou antes do 25 de Abril de 1974.

      Condecorado pelo Governo de Macau, ainda sob Administração Portuguesa, com a Medalha de Mérito Desportivo por ter integrado o primeiro raid terrestre Macau-Lisboa em 1988, guiando um jeep UMM com mais seis companheiros.

      Depois de deixar Macau, voltou a residir em Portugal onde, entre outras coisas, criou o blogue “Pau para toda a obra”, um lugar de debate público que se tornou referência, tendo sido diversas vezes citado pela comunicação social, e onde João Severino fazia uma cobertura exaustiva da actualidade.