Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nublado
33.2 ° C
33.2 °
33.2 °
78 %
5.2kmh
99 %
Ter
33 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaPlano de vacinação é esperança na redução das duras medidas anti-Covid

      Plano de vacinação é esperança na redução das duras medidas anti-Covid

      A campanha de vacinação a idosos gera esperança de que a China pode reverter as rígidas restrições anti-Covid que resultaram em protestos em várias partes do país contra as medidas.

      Os mercados de acções responderam positivamente depois de a Comissão Nacional de Saúde ter anunciado, na terça-feira, a esperada campanha de vacinação.

      A baixa taxa de vacinação é um dos maiores obstáculos para acabar com as restrições que confinaram milhões de pessoas em casa, causaram efeitos nefastos na economia e mantiveram o turismo num nível baixo.

      As autoridades de saúde não deram nenhuma indicação de quanto tempo esta campanha de vacinação poderá demorar, mas levará meses e a China também precisa de construir os seus hospitais e elaborar uma estratégia contra a Covid-19 a longo prazo, alertam especialistas em saúde e economistas citados pela agência Associated Press (AP). Os especialistas antecipam que a politica “zero Covid” deverá permanecer em vigor até meados de 2023 e possivelmente até 2024.

      “A China não está em condições de mudar a sua política “zero Covid” para uma política “viver com a Covid” pela fraca capacidade de atendimento de saúde, sublinhou Mark Williams, economista-chefe da Capital Economics para a Ásia.

      A autoridade de saúde vai incentivar a vacinação a pessoas com mais de 60 anos. Muitos não se vacinaram devido a preocupações com segurança e porque com baixos níveis de infecção o risco era baixo.

      Nove em cada dez chineses foram vacinados, mas apenas 66% das pessoas com mais de 80 anos receberam uma injecção, enquanto 40% receberam um reforço, segundo dados oficiais, que apontam que 86% das pessoas com mais de 60 anos estão vacinadas.

      Em comparação, 93% dos norte-americanos com 65 anos ou mais estão totalmente vacinados e outros 2% têm pelo menos uma dose, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês).

      A China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez no final de 2019 na cidade de Wuhan, é o último grande país a tentar interromper completamente a sua transmissão. Outros estão a relaxar o controlo, procurando conviver com o vírus que matou pelo menos 6,6 milhões de pessoas em todo o mundo e infectou quase 650 milhões.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau