Edição do dia

Quarta-feira, 7 de Dezembro, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
15.9 ° C
17.1 °
15.9 °
77 %
8.2kmh
20 %
Qua
20 °
Qui
21 °
Sex
22 °
Sáb
22 °
Dom
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Política Governo pretende incentivar a deslocação ecológica e o aumento das vias pedonais...

      Governo pretende incentivar a deslocação ecológica e o aumento das vias pedonais  

      Ao salientar que estão em curso trabalhos relativos ao estudo do Planeamento Geral do Trânsito e Transportes Terrestres de Macau (2021-2030), o Executivo assume a proposta, no respectivo documento de consulta, do incentivo à deslocação ecológica e o aumento razoável das vias pedonais, no geral, incluindo o planeamento de uma passagem pedonal do Posto Fronteiriço Qingmao ao Lido para aumentar a acessibilidade dos moradores da zona da Ilha Verde, em particular.

       

      A Direcção dos Serviços de Solos e Construção Urbana (DSSCU) referiu, em resposta a uma interpelação escrita da deputada da Assembleia Legislativa (AL) Song Pek Kei, que pediu um aceleramento da concretização do planeamento da zona da Ilha Verde, que a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) “salientou que estão em curso trabalhos relativos ao estudo do Planeamento Geral do Trânsito e Transportes Terrestres de Macau (2021-2030), tendo sido proposto, no respectivo documento de consulta, o incentivo à deslocação ecológica e o aumento razoável das vias pedonais, incluindo o planeamento de uma passagem pedonal do Posto Fronteiriço Qingmao ao Lido para aumentar a acessibilidade dos moradores da zona da Ilha Verde”.

      Por outro lado, acrescentou o director da DSSCU, “a DSAT irá colaborar com os serviços competentes no desenvolvimento dos trabalhos relacionados com o planeamento urbanístico e a gestão de solos, emitindo pareceres no âmbito do trânsito, com vista a optimizar o ambiente de deslocação da referida zona”.

      Lai Weng Leong lembrou ainda a parlamentar que o Executivo liderado por Ho Iat Seng iniciou, de acordo com o Plano Director da RAEM (2020- 2040), “a elaboração dos planos de pormenor de várias zonas, nomeadamente da Zona Norte – 1 (Zona da Ilha Verde, Zona do Fai Chi Kei e Zona do Lam Mau), Zona Este – 2, Zona do Porto Exterior – 1 e Zona do Porto Exterior – 2”.

      Assim, acrescenta o responsável, “aquando da elaboração dos respectivos planos de pormenor”, o Governo, revela Lai Weng Leong, “tendo em conta a situação actual e as necessidades de desenvolvimento destas zonas, irá aperfeiçoar, de forma contínua, a distribuição do espaço em geral, bem como optimizar as instalações colectivas e de lazer, de modo a concretizar a criação de um ambiente comunitário com boas condições de habitabilidade e elevar, em geral, a qualidade de vida dos residentes”.

      O planeamento urbanístico da Ilha Verde é tema que já remonta a 2009, altura em que o Governo, então liderado por Edmund Ho, mostrou intenção de rever o Plano de Reordenamento da Ilha Verde que foi elaborado em 1996, ainda com o território sob Administração Portuguesa, com uma consulta preliminar sobre o assunto. Na altura, as autoridades consideraram que “o desenvolvimento da Ilha Verde foi afectado pelo planeamento urbanístico definido na altura e, acrescido ainda das questões relacionadas com a titularidade do terreno, veio tudo isto conduzir a que o desenvolvimento da Ilha Verde não conseguisse atingir as expectativas dos moradores”. Em 2011, o Governo, finalmente, fez a revisão do plano de ordenamento urbanístico da Ilha Verde, zona que se encontra situada a noroeste da península de Macau, confrontado a norte com a China continental e a sul com o Parque Industrial Transfronteiriço.