Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
26.3 ° C
27.6 °
25.9 °
94 %
2.1kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
27 °
Sex
27 °
Sáb
27 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeNúmero de casos na comunidade aumenta. Idosa de 88 anos é a...

      Número de casos na comunidade aumenta. Idosa de 88 anos é a terceira vítima mortal ligada ao surto

      No balanço feito ontem pelas autoridades sanitárias, relativo a segunda-feira, os responsáveis assinalaram um aumento no número de casos de Covid-19 detectados na comunidade, em comparação com o dia anterior. Lamentaram ainda a terceira vítima mortal relacionada com o surto, uma idosa de 88 anos com problemas de saúde crónicos. A cidade continua paralisada apesar de mais de um milhar de infectados não ter sintomas e de apenas seis idosos infectados precisarem de oxigénio, estando em condição estável. Todos eles têm mais de 80 anos e são portadores de doenças crónicas.

      Na segunda-feira, registaram-se mais 57 casos positivos de Covid-19, indicaram ontem as autoridades sanitárias. O número total de casos sobe, assim, para 1.583 desde o início do surto, a 18 de Junho. Os responsáveis assinalaram que, dos 57 novos casos, 33 foram detectados nas zonas de controlo e outros 24 na comunidade. Isto reflecte um aumento, em comparação com os 17 casos detectados na comunidade no domingo.

      Leong Iek Hou, chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde, explicou que o aumento do número de casos detectados na comunidade tem a ver com a demora da obtenção dos resultados nos testes em massa. Assim, como a 7.ª ronda do teste em massa começou no domingo, os casos positivos relativos a esse dia só foram conhecidos na segunda-feira.

      O número de casos globais tem revelado uma tendência de decréscimo. A responsável salientou que isso mostra que a realização de testes em massa de forma contínua tem sido eficaz.

      As autoridades de saúde lamentaram a terceira morte no território ligada à Covid-19. Uma idosa de 88 anos – diagnosticada na semana passada e com doenças crónicas, como diabetes e problemas cardíacos – acabou por não resistir e morreu na tarde de ontem. Lei Wai Seng, médico da direcção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, explicou que os três casos mortais ligados a este surto já tinham problemas crónicos e outras complicações de saúde.

      De resto, a grande maioria dos infectados no território não tem qualquer sintoma. São 1.006 os assintomáticos, contabilizou Leong Iek Hou. Há, porém, seis idosos que necessitam de oxigénio, estando em situação considerada estável. Todos eles têm mais de 80 anos e são portadores de doenças crónicas.

      Lei Wai Seng esclareceu também que duas grávidas que estavam no Centro Clínico do Alto de Coloane foram levadas para hotéis de observação médica. Os bebés recém-nascidos que estavam em observação também já foram transportados para hotéis de isolamento.

      Na conferência de imprensa, Leong Iek Hou adiantou, em nome do Instituto para os Assuntos Municipais (IAM), que os donos de animais que não tenham condições para que eles fiquem em casa durante o confinamento podem entregá-los no serviço de acolhimento temporário do instituto. A responsável frisou que, até dia 18, não são permitidas visitas aos animais.

      A Direcção dos Serviços de Turismo (DST) acrescentou outros dois hotéis para observação médica, o Studio City e o Broadway, ambos no Cotai.

       

      DISPENSA DO REGIME DE CIRCUITO FECHADO A 20% DOS TRABALHADORES DOS LARES

      O Instituto de Acção Social (IAS) anunciou ontem que, a pedido de alguns trabalhadores de lares de idosos, poderão ser dispensados do regime de circuito fechado 20% dos funcionários. O organismo explicou que 30% do total dos trabalhadores dos lares de idosos são residentes locais e expressaram a expectativa de poderem sair do regime de circuito fechado. Para responder aos pedidos dos trabalhadores residentes, o IAS vai passar a permitir que 20% dos funcionários realizem trabalhos por turnos. Assim, quando terminam o trabalho nos lares, estes trabalhadores poderão voltar a casa. Porém, antes de regressarem ao trabalho, terão de cumprir um isolamento de sete dias e realizar testes de ácido nucleico diariamente. Na conferência de imprensa das autoridades de saúde, Choi Sio Un, representante do IAS, assegurou também que os trabalhadores que têm trabalhado nos lares de idosos em regime de circuito fechado terão direito a subsídios, remuneração extra ou dias de férias.