Edição do dia

Sexta-feira, 12 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
26.9 ° C
27.1 °
25.9 °
89 %
2.6kmh
20 %
Sex
28 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Ásia Cancelamento de envio de combustível prolonga crise económica no Sri Lanka

      Cancelamento de envio de combustível prolonga crise económica no Sri Lanka

      O Sri Lanka vai continuar a sentir escassez de combustível pelo menos mais uma semana, após os fornecedores terem dito ser impossível enviar petróleo para a ilha, disse o ministro da Energia, Kanchana Wijesekara. “Os fornecedores que tinham confirmado o embarque de gasolina, diesel e petróleo bruto no início desta semana e na próxima semana comunicaram a incapacidade de cumprir as entregas no prazo devido a razões bancárias e logísticas”, explicou o ministro, na rede social Twitter. Wijesekara admitiu não conseguir prever em que data o Sri Lanka poderá receber mais combustíveis.

      A distribuidora de petróleo do Sri Lanka “não pode confirmar as datas de chegada dos embarques, com os novos desenvolvimentos. As operações da refinaria estarão temporariamente fechadas”, sublinhou o ministro.

      Wijesekara pediu desculpas “pelo atraso e transtorno” e prometeu continuar a trabalhar com fornecedores para que, quando chegar a próxima remessa de combustível, parte seja distribuída diretamente a postos de abastecimento de veículos.

      No entanto, trabalhadores da distribuidora de petróleo disseram ao jornal local Daily Mirror que não são esperados envios de combustível a curto prazo, apesar das garantias do ministério.

      O primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, disse há duas semanas à agência Associated Press (AP) que poderia ser obrigado a comprar petróleo à Rússia, numa altura em que o país se debate com uma crise económica sem precedentes.

      Nomeado pela sexta vez como primeiro-ministro para solucionar uma crise económica que praticamente esvaziou as reservas cambiais do país, Wickremesinghe tomou posse após os violentos protestos de maio terem forçado o antecessor – Mahinda Rajapaksa, irmão do Presidente Gotabaya Rajapaksa – a demitir-se e a procurar segurança numa base naval.

      O Sri Lanka enfrenta a pior crise económica desde a independência, em 1948, com escassas reservas de medicamentos, alimentos e combustível. A situação tem-se agravado pela falta de divisas internacionais, o que levou a ilha a suspender temporariamente, em Abril, o pagamento da dívida externa, tendo começado a negociar com o Fundo Monetário Internacional um eventual resgate financeiro.

      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau