Edição do dia

Segunda-feira, 26 de Fevereiro, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
13.9 ° C
15.9 °
13.9 °
72 %
5.7kmh
40 %
Dom
16 °
Seg
19 °
Ter
20 °
Qua
20 °
Qui
21 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Governo não afasta a hipótese de mistura de vacinas, mas aguarda mais...

      Governo não afasta a hipótese de mistura de vacinas, mas aguarda mais dados

      Falou-se de tudo um pouco, desde a vacinação aos testes de ácido nucleico, passando pela nova ronda de venda máscaras faciais e pelo caso da mulher que foi agredida por dois homens e teve alta do hospital público dada por um homem misterioso que ninguém consegue explicar quem é, nem a coordenadora do Núcleo de Prevenção e Vigilância da Doença, Leong Iek Hou, que pouco ou nada falou sobre o assunto.

       

      Gonçalo Lobo Pinheiro

       

      Já no final da conferência de imprensa de ontem do Centro de Coordenação de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, a coordenadora do Núcleo de Prevenção e Vigilância da Doença, Leong Iek Hou, admitiu a possibilidade de, no futuro, poder recorrer-se a misturas de vacinas. “Uma pessoa ter as duas doses de Sinopharm e depois receber uma terceira dose de mRNA? Há resultados que mostram que é bom, mas ainda não há resultados que possamos considerar suficientes. Quando tivermos mais dados, não afastamos essa possibilidade”.

      Numa conversa com os jornalistas bastante ligeira, a responsável falou ainda da vacinação em grávidas, um grupo de risco da Covid-19. “Há instruções no estrangeiro que dizem que as grávidas podem ser vacinadas. Nós não exigimos que sejam vacinadas, mas podem vacinar-se. Contudo, as grávidas são também um grupo de risco”, começou por dizer Leong Iek Hou.

      E para quem não quer ser vacina? “Um certificado passado pelo médico pode adiar a vacinação de uma grávida, mas o teste de ácido nucleico de sete em sete dias tem de ser realizado sempre. O Governo assume as despesas com os testes se esse certificado existir”, acrescentou a médica e coordenadora do Núcleo de Prevenção e Vigilância da Doença.

      Leong Iek Hou referiu que já foram administradas, em todo o mundo, cerca de 670 milhões de doses de vacina e reiterou a segurança dos fármacos. “Com os dados que temos, posso afirmar que a fiabilidade e segurança estão garantidas.”

      Ainda assim, como é sabido, “pessoas com alergias graves a algum dos componentes da vacina é que não podem ser vacinadas”. “Isso, ou pessoas devidamente autorizadas pelos seus médicos. Os idosos em especial, por exemplo, se não houver contraindicações deverão ser vacinados”, notou.

      Dados estatísticos mostram que pessoas com mais de 65 anos têm de 60 até 100 vezes mais probabilidade de desenvolver doença grave do que pessoas com menos de 54 anos, se não estiverem vacinadas. Para a responsável dos Serviços de Saúde, “os idosos e os doentes crónicos precisam ainda mais da vacina do que a restante população” e as grávidas não vacinadas, por exemplo, “têm sete mais probabilidade de ficarem gravemente doentes do que aquelas que já apanharam a vacina”.

       

      O mistério do homem da bata branca continua

      Outra questão abordada na conferência de imprensa prendeu-se com o caso da agressão a uma mulher, num supermercado do território, por dois indivíduos, entretanto colocados em prisão preventiva. A alta dada à mulher no hospital público, quatro dias depois da agressão, continua envolta em mistério. Um homem de bata branca, misterioso, conforme revelou a família da paciente, deu autorização para que a mulher pudesse regressar a casa, mas não há registo dessa alta. A família não tem qualquer documentação nesse sentido e até os deputados da Assembleia Legislativa, José Pereira Coutinho e Che Sai Wang já estão a acompanhar, de perto, o processo.

      Leong Iek Hou não se alongou muito sobre o assunto, referindo apenas que os Serviços de Saúde estão a acompanhar de perto o processo, mas reiterando que “se o colega deu alta hospitalar é porque o paciente reunia condições para tal”, o que não significa que não possa ter uma recaída posteriormente. E mais não disse.

      A responsável referiu ainda que 19 de Outubro foi concluído o plano de testes de alta frequência como todos os resultados a darem negativo.

      Dados relativos ao dia de ontem mostram que foram administradas até ao momento 769.665 doses de vacinas contra a Covid-19. 437.869 pessoas foram inoculadas, sendo que a primeira dose já foi administrada a 102.766 indivíduos e 335.103 pessoas estão totalmente imunizadas, com duas doses. Nas últimas 24h, ocorreram 26 notificações de eventos adversos (26 eventos adversos ligeiros e nenhum grave, tendo sido 14 casos relacionados com a vacina inactivada da chinesa Sinopharm e 12 casos da vacina mRNA da germânica BioNTech). Desde o início do programa de vacinação em Macau que ocorreram 3.229 notificações de eventos adversos, tendo sido a sua maioria (3.221) considerados adversos ligeiros e apenas oito graves.

      O Centro de Coordenação de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus revelou ainda que, a partir do próximo domingo, terá início o 35.º Plano de fornecimento de máscaras destinado aos residentes de Macau. O período de venda irá decorrer durante 30 dias, entre 24 de Outubro e 22 de Novembro, e cada pessoa pode comprar 30 máscaras com um custo de 24 patacas. Os estudantes de Macau que prossigam estudos do ensino superior, efectuem intercâmbio e estágio e que frequentem, neste momento, cursos de preparação ou cursos linguísticos para prosseguimento de estudos no ensino superior, no exterior, podem aceder, entre o dia 24 de Outubro e as 17 horas (hora local) do dia 6 de Novembro, à página electrónica da DSEDJ (https://aeees.dsedj.gov.mo/mk), efectuar o seu registo e escolher a data e hora da compra, para depois adquirirem as máscaras através dos seus representantes.