Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
28.9 °
27.9 °
83 %
4.6kmh
40 %
Sáb
28 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMateriais didácticos de segurança nacional serão usados nas escolas a partir do...

      Materiais didácticos de segurança nacional serão usados nas escolas a partir do próximo ano lectivo

      Dos jardins de infância a instituições de ensino superior, os alunos de Macau terão de aprender ainda mais sobre o patriotismo a partir do próximo ano lectivo, uma vez que o serviço educativo está prestes a lançar materiais didácticos complementares sobre a segurança nacional, com um conjunto de seis volumes. Ao mesmo tempo, as autoridades vão organizar “Jornadas da educação do amor pela Pátria e por Macau”, destinadas particularmente aos estudantes do 1.º ano do ensino secundário geral.

       

      Os materiais didácticos complementares da educação da segurança nacional, que a Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) está a elaborar, vão ser lançados no próximo ano lectivo de 2024/2025. A informação foi confirmada por Choi Man Chi, chefe do Departamento do Ensino Não Superior do organismo, revelando ainda que a publicação terá um conjunto de seis livros.

      Os seis volumes serão utilizados em todos os níveis de educação em Macau, incluindo nas escolas secundárias, primárias e infantários, tanto como nas instituições de ensino superior. O Conselho de Juventude realizou ontem a reunião plenária, presidida por Elsie Ao Ieong, secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, durante a qual destacou-se a discussão sobre os trabalhos preparativos para as actividades de “celebração dupla” dos aniversários da RAEM e da Fundação da República Popular da China.

      À margem da reunião, citada pelo Jornal Ou Mun, Choi Man Chi sublinhou que o sector da educação de Macau está atento à implementação da lei da educação patriótica no interior da China, tendo pedido para se tomar como referência a entrada em vigor dessa lei. “Para melhor aproveitar a ocasião significativa do 75.º Aniversário da Fundação da República Popular da China e do 25.º Aniversário do Estabelecimento da RAEM a terem lugar durante este ano, a DSEDJ continua a promover a educação do amor pela pátria e por Macau a diferentes níveis”, assegurou.

      Choi Man Chi apontou que os trabalhos de promoção incluem a revisão dos regulamentos de currículos escolares e a publicação de materiais didácticos, bem como a organização de vários eventos a nível local, da área da Grande Baía e internacional, “de forma a criar uma atmosfera de patriotismo e de amor por Macau”.

      Nesse sentido, Cheong Man Fai, Chefe do Departamento de Juventude, acrescentou que no próximo ano lectivo serão também realizadas as “Jornadas da educação do amor pela Pátria e por Macau”, destinadas aos alunos do 1.º ano do ensino secundário geral.

      “Estão a ser planeadas as Jornadas da educação do amor pela Pátria e por Macau, em princípio com uma duração de dois ou três dias, sendo o alojamento principal em Macau”, avançou. A responsável frisou que no futuro a DSEDJ vai ainda procurar mais locais de alojamento para as Jornadas da educação, e que o organismo tenha à disposição pousadas nas ilhas. “Vamos mobilizar todos os recursos para proporcionar alojamento e espaço para actividades”, afirmou.

      As Jornadas da educação patriótica preveem ainda visitas à Zona de Cooperação Aprofundada em Hengqin e à Grande Baía, a fim de “aumentar os conhecimentos dos alunos sobre o desenvolvimento nacional e de Macau”.

      Foi apresentada também na reunião a situação de implementação do “Plano de Desenvolvimento Profissional dos Jovens de Macau” da DSEDJ. Segundo o chefe substituto da Divisão de Desenvolvimento de Jovens, Chio Pou Wai, o plano visa prestar formação a trabalhadores jovens “excelentes com potencial para se tornarem quadros de gestão” de empresas de Macau e formação sobre a situação nacional e regional, bem como uma formação avançada na Universidade de Tsinghua, em Pequim. O objectivo é apoiar a integração dos jovens locais no desenvolvimento nacional e constituir uma reserva de quadros qualificados para promover o desenvolvimento, de alta qualidade, da economia de Macau, salientou a DSEDJ.

      As autoridades adiantaram, além disso, ter encarregado uma instituição da realização do “Estudo Social dos Indicadores sobre a Juventude em Macau de 2024”, cujo inquérito será conduzido entre Maio e Agosto deste ano.