Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeAssociação quer melhores condições de emprego para trabalhadores  

      Associação quer melhores condições de emprego para trabalhadores  

      A Associação de Empregados de Estabelecimentos Comerciais considera que o bom andamento da recuperação económica é agora suficiente para justificar a oferta de melhores condições laborais para os trabalhadores em Macau. Tang Kam Fu, porta-voz da associação, apontou que o aumento dos rendimentos vai melhorar a confiança dos empregados, salientando ainda que as empresas devem criar condições para a contínua formação profissional dos funcionários.

       

      As condições laborais e do desenvolvimento de carreira dos trabalhadores em Macau devem ser melhoradas de acordo com a actual recuperação económica. É este o pedido apresentado ao Governo pela Associação de Empregados de Estabelecimentos Comerciais de Macau.

      Tang Kam Fu, director da associação, notou que a economia local tem vindo a recuperar e o número de turistas continua a subir, impulsionando a retoma gradual do mercado de retalho em Macau. “Estamos no bom caminho, o desenvolvimento de diversas indústrias está a crescer e a procura por recursos humanos também aumenta”, disse.

      O responsável espera, desta forma, que o Governo e as empresas possam melhorar as condições de emprego e a formação dos trabalhadores, “para que os empregados possam adaptar-se ao novo ambiente de mercado, apoiando melhor a recuperação da indústria e contribuir para o desenvolvimento económico e social de Macau”, asseverou.

      Apesar da disponibilização recente de mais postos de emprego, nomeadamente do sector de retalho, os residentes continuam a enfrentar desafios e dificuldades para aumentar a qualidade do seu emprego, segundo Tang Kam Fu. Indicou ainda que há necessidade de as autoridades imporem certas medidas ou políticas para resolver o problema. “O rendimento dos trabalhadores sofreu certamente uma diminuição durante a pandemia. No entanto, muitos funcionários entendiam as dificuldades enfrentadas pelos seus empregadores e estavam dispostos a ultrapassar os tempos difíceis com os patrões, com condições laborais menos favoráveis”, recordou.

      Nesse sentido, com o melhoramento do desenvolvimento das indústrias, Tang Kam Fu acredita ser razoável que os empregadores possam “ser mais amigáveis” e melhorar as condições de emprego, particularmente em termos de condições salariais. Para o responsável, a medida pode não apenas ajudá-los a melhorar a qualidade de vida e situação financeira depois dos impactos epidémicos, mas também aumentar a moral e confiança dos trabalhadores.

      Num comunicado enviado à imprensa, o também membro da direcção da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) referiu estar atento à formação profissional contínua dos funcionários. “Actualmente, o sector de retalho está a exigir que os funcionários tenham habilidades de venda para prestar melhores serviços com as marcas mais sofisticadas. Também no processo de alargamento da fonte de turistas do exterior, acredito que os requisitos de emprego da indústria serão ainda mais elevados, pois os trabalhadores têm de ser mais competentes”, salientou.

      Tang Kam Fu, citando os dados de estatística e censos sobre o tempo de trabalho para o sector de retalho de 44,7 horas por semana, destacou que a formação profissional não vai ser viável para os funcionários sem coordenação por parte das empresas, por falta de tempo para assistir aos cursos de formação. Apelou assim às entidades e empresas para que sejam fornecidas condições favoráveis aos empregados na participação na formação e treinamento.