Edição do dia

Terça-feira, 9 de Agosto, 2022
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
27.9 ° C
27.9 °
26.9 °
83 %
5.1kmh
20 %
Seg
28 °
Ter
28 °
Qua
29 °
Qui
28 °
Sex
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      Início Sociedade Trabalhador teve queda fatal nos estaleiros da Galaxy

      Trabalhador teve queda fatal nos estaleiros da Galaxy

      Um trabalhador não-residente de 31 anos faleceu ontem num acidente de trabalho num estaleiro da Galaxy. De acordo com as informações fornecidas à imprensa, o homem trabalhava no projecto de terceira fase do Galaxy Resort no Cotai e teve uma queda fatal de cinco andares. A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais emitiu um comunicado relembrando as obrigações do empreiteiro e a deputada Ella Lei aproveitou para instar o Governo acerca das obrigações laborais de segurança e saúde no trabalho.

      Ontem, pelas 10 da manhã, a Polícia Judiciária obteve informação por parte do Centro Hospitalar Conde de São Januário acerca de um homem que tinha caído de uma altura elevada num local de construção de um estaleiro da Galaxy, no Cotai, acabando por falecer.

      De acordo com as informações dadas pelas autoridades, o homem caiu de um andar elevado de uma construção deste novo projecto da operadora e foi confirmado morto depois tentativas de reanimação. Após investigação, foi apurado que a vítima estava a trabalhar na terceira fase do Galaxy Resort no Cotai e que por volta das 9h10 uma colega de trabalho encontrou o falecido no corredor das instalações. As investigações constataram também que o homem tinha caído de uma altura de cinco andares.

      Quando encontrado, o homem tinha sangue nas costas e o colega contactou imediatamente o número de emergência 999 para assistência. Não ficou claro ainda as razões que levaram à queda fatal do indivíduo.

      Após exames médicos verificou-se que o homem tinha fracturas expostas nas costas, perto da cintura e em ambos os cotovelos e tornozelos, que eram lesões consistentes com uma queda de altura. Foi encontrado também junto ao corpo uma corda e um arnês de segurança.

      Uma vez que o incidente envolveu uma suspeita de acidente industrial, foram enviados para o local alguns agentes da Polícia de Segurança Pública e da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL).

      De acordo com o comunicado da polícia, a vítima é um homem de 31 anos, trabalhador não-residente, sendo que ainda estão a ser conduzidos mais exames para apurar mais detalhes.

      A DSAL já emitiu um comunicado reiterando que “a vida e a segurança dos trabalhadores são muito preciosas”, relembrando as obrigações do empreiteiro que, de acordo com a lei, é obrigado a avaliar a segurança do ambiente de trabalho para definir procedimentos seguros durante o curso das obras e a fiscalizar se os trabalhadores seguem aqueles procedimentos para garantir a sua segurança. O organismo sublinhou estar atento à situação, tendo enviado de imediato pessoal ao local para se inteirar da situação e acompanhar o caso, ordenando ao empreiteiro em causa que suspendesse todos os trabalhos a mais de dois metros de altura naquele estaleiro. Garantiu também continuar a investigação às causas deste acidente e prestar apoio.

       

      Ella Lei insiste na segurança

      Num comunicado enviado ontem às redacções e no seguimento deste incidente, a deputada Ella Lei instou à melhoria do sistema legal de segurança no trabalho. Ella Lei exortou todas as partes a darem importância às medidas de segurança no trabalho e a completarem a legislação da lei de segurança e saúde no trabalho para o sector da construção o mais rapidamente possível, de modo a aumentar a sensibilização para a gestão da segurança nos projectos de construção, melhorando o sistema e reforçando a supervisão e aplicação.

      Referiu também que a gestão da segurança e saúde no trabalho em Macau tem de ser melhorada de acordo com as mudanças sociais, a expansão do número e escala de projectos, mudanças na tecnologia e inovação, entre outros. A sensibilização para a segurança e saúde no trabalho entre alguns empregadores ou gestores de projectos e profissionais do sector também precisa de ser melhorada, de acordo com a deputada, acrescentando que para as obras públicas, as autoridades devem considerar incorporar a supervisão da segurança nas obrigações das empresas de supervisão relevantes para facilitar a implementação efectiva do trabalho de segurança e saúde no trabalho.

      DEIXE UMA RESPOSTA

      Por favor escreva o seu comentário!
      Por favor, escreve aqui o seu nome