Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
30.9 ° C
32.9 °
30.9 °
84 %
5.1kmh
40 %
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °
Dom
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioPolíticaDSEDJ tem mais de 380 agentes de aconselhamento psicológico

      DSEDJ tem mais de 380 agentes de aconselhamento psicológico

      Na reunião plenária de ontem, os deputados estiveram durante mais de uma hora a falar sobre o vício da internet por parte dos jovens. Na discussão, Elsie Ao Ieong indicou que a Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) tem este ano lectivo mais de 380 agentes de aconselhamento que dão apoio aos jovens nas escolas.

      O tema foi levado à Assembleia Legislativa (AL) pelo deputado Leong Sun Iok, que alertou que, com o advento das tecnologias, os jovens não largam os seus ‘smartphones’ e abandonaram os hábitos de leitura e escrita em papel. O deputado sugeriu ainda uma aposta na “sinologia”, ou seja, na cultura e tradições chinesas, como “a dedicação ao trabalho, a lealdade e o pudor”.

      A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura respondeu que, “para reforçar a transmissão aos alunos do conceito de utilização correcta da internet, o conteúdo da literacia digital já está incluído nos currículos regulares e ensino, nomeadamente nas disciplinas de educação moral e cívica, actividades de descoberta, tecnologias da informação, entre outras”.

      Por outro lado, indicou a secretária, a DSEDJ tem organizado, com o envolvimento dos agentes de aconselhamento a alunos e das instituições, “actividades que contribuem para o desenvolvimento físico e mental dos alunos, além de promover a redução e prevenção do vício na internet, fornecendo também serviços de aconselhamento e apoio”. Segundo Elsie Ao Ieong, nos últimos três anos lectivos, foram realizadas mais de 570 actividades relacionadas, com mais de 27.000 participações.

      Durante a sessão, Elsie Ao Ieong sugeriu ainda a utilização de serviços das operadoras de telemóvel que têm como função bloquear páginas mais nocivas. A governante propôs também que houvesse uma comunicação mais aberta dentro da família, de forma a evitar que os jovens se tornem dependentes dos ‘smartphones’.

      Sobre o conceito de “sinologia”, a secretária afirmou que, “ao longo dos anos, a DSEDJ tem vindo a promover, através de diversos canais, o conhecimento dos alunos sobre a cultura chinesa”.