Edição do dia

Sexta-feira, 14 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva forte
29.3 ° C
31 °
28.9 °
94 %
4.1kmh
40 %
Sex
30 °
Sáb
30 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadePSD-Macau fala em "assalto descarado de socialistas" à Fundação EPM e pede...

      PSD-Macau fala em “assalto descarado de socialistas” à Fundação EPM e pede exoneração de Alexandre Leitão

      A secção do Partido Social Democrata (PSD) em Macau diz que a Fundação da Escola Portuguesa de Macau (EPM) está sob um “assalto descarado de socialistas”, implicando também o cônsul-geral português, Alexandre Leitão. Num comunicado partilhado nas redes sociais, a secção de Macau do PSD dá a entender que Acácio de Brito quer colocar a sua companheira a leccionar na escola e deixa no ar a hipótese de haver processos contra o agora director da EPM dos tempos em que era director da Escola Portuguesa de Díli. O PONTO FINAL tentou obter esclarecimentos junto de Alexandre Leitão, Neto Valente e Acácio de Brito, mas não obteve respostas.

       

      A secção de Macau do Partido Social Democrata (PSD) publicou ontem, nas redes sociais, um comunicado em que faz várias acusações tanto em relação a Alexandre Leitão, cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong, como a Acácio de Brito, novo director da Escola Portuguesa de Macau (EPM).

      Recorde-se que nos últimos dias tem sido notícia a reestruturação que está a ser levada a cabo por Acácio de Brito na EPM, com a dispensa de vários professores e o anúncio da contratação de dez não-residentes. O comunicado de imprensa do PSD-Macau dá a entender que a companheira de Acácio de Brito será uma das trabalhadoras não-residentes a ser contratada para a EPM.

      Em entrevista aos canais portugueses da TDM, publicada no sábado, Alexandre Leitão desvalorizou as críticas à gestão da EPM. Além disso, defendeu que o representante diplomático de Portugal deve ter assento no conselho de curadores da Fundação EPM.

      Agora, o PSD-Macau fala num “assalto descarado de socialistas, incluindo de Alexandre Leitão, à Fundação Escola Portuguesa de Macau, sem mandato nem instruções do Governo de Portugal”. Assim, os social-democratas afirmam que o cônsul-geral deve pedir exoneração do cargo “com efeitos imediatos, recordando que a era socialista terminou há já uns meses”.

      O comunicado do PSD-Macau, assinado pelo porta-voz António Bessa Almeida, diz mesmo que Alexandre Leitão e Acácio de Brito, “amigo de longa data desde os tempos de Timor-Leste”, devem “regressar a Lisboa ainda antes da chegada da companheira deste último a Macau para leccionar na Escola Portuguesa de Macau”.

      A nota diz ainda que, “caso existam processos abertos em nome de ou denúncias realizadas contra Acácio de Brito dos tempos da Escola Portuguesa de Díli no Ministério da Educação então deverão de imediato ser tornadas públicas”. O comunicado não revela mais detalhes sobre esses processos.

      O PONTO FINAL também tentou obter reacções às acusações por parte de Alexandre Leitão, Acácio de Brito e Jorge Neto Valente, presidente do Conselho de Administração da Fundação EPM, mas não obteve qualquer resposta.

      “Torna-se urgente ainda o dia da derrocada final do ‘lobby’ do PS Coimbra em Macau”, termina o comunicado da secção de Macau do PSD.