Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
30.9 ° C
32.9 °
30.9 °
84 %
5.1kmh
40 %
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °
Dom
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeJovem de Macau vítima de extorsão e violação, diz PJ

      Jovem de Macau vítima de extorsão e violação, diz PJ

       

      Uma aluna local, do ensino secundário, foi vítima num esquema de extorsão e violação, depois de conhecer um homem na internet que a convenceu a enviar uma foto sua nua. Segundo a Polícia Judiciária, o indivíduo, oriundo do Continente, criou mais contas nas redes sociais para chantagear a jovem e forçá-la a um encontro num hotel em Zhuhai onde a terá violado. O homem foi detido em Dongguan. As autoridades locais garantem atenção elevada ao caso, indicando que a aluna se encontra “emocionalmente estável”.

       

      Um homem, de 31 anos, proveniente do interior da China, foi detido por extorsão e violação sexual contra uma jovem de Macau, aluna do ensino secundário. O detido apresenta-se como desempregado e tem registo de prática precedente do crime de violação no Continente. De acordo com a Polícia Judiciária (PJ), o indivíduo fez-se passar por três pessoas diferentes na internet para persuadir a estudante a enviar-lhe fotografias suas nuas, forçando ainda a jovem a deslocar-se a um hotel em Zhuhai onde a terá violado, diz a PJ.

      O caso foi resolvido em colaboração entre a PJ e as autoridades policiais do interior da China, tendo o suspeito sido detido em Dongguan, na Província de Guangdong, na madrugada do dia 26 do mês passado. Os detalhes do caso foram divulgados ontem em conferência de imprensa.

      Segundo noticiou o Jornal Ou Mun, o suspeito conheceu a vítima numa plataforma de videojogos em Março. Depois, contactou a jovem através do WeChat, fingindo ser um amigo já conhecido, e começou a conversar com a mesma. No seguimento da conversa, a aluna tirou uma ‘selfie’ nua que enviou ao “amigo”.

      A jovem foi contactada posteriormente por outros dois “indivíduos”, que são na realidade o mesmo suspeito, que disseram ter a foto da jovem, exigindo uma transferência de oito mil renminbis, caso contrário a fotografia seria tornada pública. A aluna foi também ameaçada a iniciar uma conversa por vídeo sem roupa.

      Segundo a PJ, o homem afirmou que a vítima tinha uma dívida em relação a ele, exigindo um encontro num hotel em Zhuhai com um outro indivíduo para relações sexuais de forma a “compensar a dívida”. No entanto, este indivíduo era também o mesmo suspeito do caso.

      Segundo as autoridades policiais, a aluna foi, por três vezes, a estes encontros entre meados de Abril e Maio. Além disso, o homem alegou à jovem que tinha uma solução para a ajudar a acabar com a chantagem, pedindo-lhe o telemóvel. No entanto, como continuava a ser solicitada para pagar, a jovem recorreu ao telemóvel dos pais para efectuar uma transferência ao homem. Os progenitores descobriram a situação e resolveram pedir ajuda à polícia.

      A PJ, citada pela Rádio Macau em língua chinesa, disse estar a comunicar com a polícia do interior da China para averiguar se o homem será escoltado e transferido para Macau. O incidente foi comunicado também à Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ).

      As autoridades policiais apelam ao público para que tenha cuidado ao fazer amigos na internet e para que não divulgue informações pessoais nem envie fotografias ou vídeos a amigos que conhece na Internet.

      A DSEDJ realçou que está atenta ao caso de violação e coordenou imediatamente a escola e as organizações de aconselhamento para contactar e prestar apoio à estudante e aos seus pais. “A aluna encontra-se agora em estado emocional estável e está a ser acompanhada pela escola e pelos agentes de aconselhamento.

      Num comunicado emitido ontem, a DSEDJ apela também aos pais para que prestem mais atenção à vida social quotidiana e à utilização do dinheiro dos seus filhos, bem como ao seu estado emocional, lembrando ainda aos estudantes para protegerem os seus dados pessoais e evitarem confiar em mensagens na Internet.