Edição do dia

Terça-feira, 18 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.6 ° C
33.2 °
29.9 °
89 %
4.6kmh
40 %
Ter
31 °
Qua
31 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeMacau registou 22 casos de suicídio nos primeiros três meses do ano

      Macau registou 22 casos de suicídio nos primeiros três meses do ano

       

      Macau registou 22 casos de morte por suicídio no primeiro trimestre deste ano. O número de casos mostra uma diminuição, em termos trimestrais e anuais, com menos quatro casos e menos um caso, respectivamente. Os Serviços de Saúde indicam que, entre as vítimas, há 12 homens e dez mulheres, sendo que as possíveis causas podem ser doenças mentais, doenças crónicas ou fisiológicas.

       

      Os Serviços de Saúde (SSM) revelaram que foram registados 22 casos de morte por suicídio nos primeiros três meses do ano. Em comparação com os dados do passado, o número de suicídios do último trimestre foi inferior em quatro casos (15%) ao trimestre anterior e em um caso (4%) relativamente ao mesmo período do ano passado.

      De acordo com os resultados da monitorização das autoridades às causas de morte relacionadas com suicídio dos SSM, entre os 22 casos, 12 são do sexo masculino e dez do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 17 e os 75 anos. Entre eles, 21 casos são residentes de Macau (95,5%), e um caso não residente (4,5%). “Segundo a análise dos dados, neste trimestre, as possíveis causas do suicídio são principalmente resultantes de doenças mentais, doenças crónicas ou fisiológicas”, avançou o organismo.

      Os SSM apontam que “as causas do suicídio são complexas e frequentemente envolvem doenças mentais, factores psicológicos, socioeconómicos, familiares, de relações humanas e factores genéticos biológicos”, e a prevenção eficaz do suicídio “requer a atenção de todos” e que “todos precisam de participar activamente num papel de defensores de prevenção do suicídio”.

      Apelam por isso aos residentes para reduzir a incidência de suicídios, para comunicar e preocuparem-se mais com as pessoas que estão ao seu redor, com as suas vidas diárias e incentivar aqueles que estão com problemas emocionais a procurar activamente ajuda profissional, defendem os SSM em comunicado.

      Consultando os dados estatísticos mais detalhados, o balanço do secretário para a Segurança avançou ainda que, no primeiro trimestre, de acordo com a faixa etária, o maior número de casos situou-se entre os 65 e os 74 anos, com cinco vítimas, seguido pelo grupo etário dos 35 aos 44 anos e dos 45 aos 54 anos, com quatro casos, respectivamente.

      Três pessoas com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos cometeram suicídio até Março, sendo o mesmo número entre os 55 e os 64 anos. Cinco pessoas perderam a vida por suicídio em Janeiro, dez pessoas em Fevereiro e sete em Março.

      Os dados referem ainda um decréscimo no número de tentativas de suicídio no primeiro trimestre, com um total de 51 casos, menos 16 (24%) em termos anuais e menos sete (12%) em termos trimestrais. No entanto, é de salientar que a maioria das pessoas que tentaram suicidar-se é jovem, com 14 pessoas de idades compreendidas entre 15 e 24 anos, 15 entre os 25 e os 34 anos, e três pessoas dos 5 aos 14 anos.

      “O Governo da RAEM tem dado grande importância à saúde mental dos residentes”, assumem os SSM, afirmando ter aumentado a acessibilidade dos serviços e alargado a rede de apoio social. Actualmente, os centros de saúde do Tap Seac, do Fai Chi Kei, da Areia Preta, da Ilha Verde, dos Jardins do Oceano, de Nossa Senhora do Carmo – Lago, da Praia do Manduco e de Seac Pai Van disponibilizam serviços de consulta de saúde mental.

      Os Serviços de Saúde apelam a todos aqueles que estejam emocionalmente angustiados e desesperados para ligar para a Linha Aberta “Esperança de vida da Cáritas” através do n.º 28525222 de forma a obter serviços de aconselhamento emocional. Para mais informações sobre saúde mental, podem aceder à “Página electrónica de informações sobre saúde mental” dos SSM.