Edição do dia

Segunda-feira, 17 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
28.1 ° C
29.9 °
27.9 °
94 %
3.6kmh
40 %
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeChefe de cozinha suspeito de corrupção por solicitar subornos

      Chefe de cozinha suspeito de corrupção por solicitar subornos

      O Comissariado Contra a Corrupção (CCAC) detalhou ontem um caso de um chefe de cozinha que terá solicitado subornos aos seus subordinados, sendo então acusado da prática de corrupção passiva no sector privado.

      O CCAC explica que recebeu uma denúncia apresentada presencialmente por um representante de uma empresa cujo capital social é detido integralmente por uma concessionária de jogo, segundo a qual esse chefe de cozinha do departamento de restauração da referida empresa teria solicitado, ao longo dos anos, subornos aos trabalhadores, tendo violado alegadamente a lei e as regras internas do pessoal daquela empresa, pelo que solicitou-se a efectivação das respectivas responsabilidades.

      Durante a investigação, o organismo anti-corrupção verificou que o chefe de cozinha tinha o poder de contratar, despedir e promover trabalhadores do seu departamento. No período compreendido entre Setembro de 2020 e Fevereiro de 2023, o referido chefe de cozinha aproveitou para exigir várias vezes aos seus subordinados que “respeitassem o superior com ofertas”, cobrando-lhes mensalmente uma “taxa” como contrapartida pela recomendação para admissão dos trabalhadores nos respectivos cargos e pela renovação dos seus vínculos laborais, o que ascendeu a um valor total de 240 mil patacas.

      O referido chefe de cozinha foi despedido após a ocorrência do incidente. O homem é suspeito da prática do crime de corrupção passiva no sector privado e o caso foi encaminhado para o Ministério Público, para os devidos efeitos.

      No comunicado, o CCAC apela à população para a “integridade e o cumprimento da lei, não desafiando a lei para obter benefícios ilícitos”, encorajando também o pessoal das entidades privadas a apresentarem imediatamente denúncia assim que se deparem com actos ilícitos, nomeadamente actos de corrupção activa e passiva.

       

      A.V.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau