Edição do dia

Sábado, 22 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
30.9 ° C
31.9 °
30.9 °
79 %
4.1kmh
40 %
Sáb
31 °
Dom
30 °
Seg
30 °
Ter
30 °
Qua
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaSubsídios para professores vão crescer 3% no próximo ano lectivo

      Subsídios para professores vão crescer 3% no próximo ano lectivo

      Foram publicadas ontem em Boletim Oficial as novas tabelas relativas aos subsídios dirigidos aos professores do ensino não superior, onde se verifica que, a partir do próximo ano lectivo, os apoios a serem recebidos pelos docentes vão crescer cerca de 3%.

       

      O Governo publicou ontem, em Boletim Oficial, as tabelas dos subsídios directos e dos subsídios para o desenvolvimento profissional a serem atribuídos aos professores do ensino não superior a partir do próximo ano lectivo. As novas tabelas actualizam os valores dos apoios em cerca de 3%.

      Assim, no que toca ao subsídio para o desenvolvimento profissional, o pessoal docente com licenciatura ou habilitação equivalente pode receber 5.230 ou 6.550 patacas, dependendo da formação pedagógica. Anteriormente, os valores em vigor eram 5.080 e 6.360, respectivamente. Professores com bacharelato vão passar a receber 5.050 ou 5.540 patacas, dependendo também da formação pedagógica. Estes valores estavam, até aqui, nos 4.900 e 5.380 patacas. Por fim, professores sem habilitação académica de nível superior vão receber 3.100 ou 4.470 patacas, sendo que anteriormente estes valores estavam nas 3.010 e 4.340 patacas.

      Este subsídio é atribuído mensalmente ao pessoal docente registado na Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) que exerce funções nas escolas particulares sem fins lucrativos do regime escolar local do ensino não superior.

      Quanto ao subsídio directo para o pessoal docente, os professores com uma licenciatura ou equivalente vão receber mensalmente 6.550 patacas, se tiverem formação pedagógica adequada, ou 5.230 patacas se não tiveram formação pedagógica. Os professores com bacharelato vão receber 5.540 patacas ou 5.050 patacas, dependendo da formação pedagógica. Já os professores que não têm habilitação académica de nível superior vão receber 4.470 ou 3.100 patacas. Anteriormente, estes valores iam das 3.010 às 6.360 patacas.

      Este subsídio directo é atribuído ao pessoal docente da educação pré-escolar, do ano preparatório para o ensino primário, dos ensinos primário e secundário dos estabelecimentos de ensino particular de fins não lucrativos, que se encontrem registados na DSEDJ. Os prémios de antiguidade mantêm-se inalterados.

      Ao longo dos últimos meses, vários deputados foram alertando para as condições laborais dos professores. Por ocasião do último Dia do Professor na China, os deputados ligados à Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) sugeriram o aumento da remuneração dos docentes. No final de Fevereiro, Pereira Coutinho também apresentou uma interpelação escrita em que pedia a “dignificação e valorização do trabalho dos docentes”, bem como medidas para o desenvolvimento profissional dos professores.