Edição do dia

Terça-feira, 25 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
34.3 ° C
34.3 °
34.3 °
77 %
6.1kmh
90 %
Ter
34 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaMacau ocupa o 20.º lugar no mercado da Ásia-Pacífico para convenções internacionais

      Macau ocupa o 20.º lugar no mercado da Ásia-Pacífico para convenções internacionais

      O ranking de Macau entre as cidades de convenções internacionais subiu significativamente no ano passado, tendo ascendido à 20.ª posição no ranking das cidades da Região Ásia-Pacífico, e 107.ª posição no ranking mundial, adiantou o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau. Vincent U, presidente do organismo, assinalou que as vantagens e competitividade de Macau no mercado de convenções foram internacionalmente reconhecidas.

       

      No Relatório Anual da Associação Internacional sobre o Mercado de Congressos Internacionais 2023, publicado recentemente pela Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA), a RAEM foi classificada em 20.º lugar entre as principais cidades de convenções internacionais no ranking da região Ásia-Pacífico, subindo 34 posições em comparação com o ano anterior.

      A informação foi adiantada por Vincent U, presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), na primeira reunião ordinária de 2024 da Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições, que decorreu na segunda-feira e foi presidida por Lei Wai Nong, secretário para a Economia e Finanças.

      Vincent U saudou os resultados que Macau obteve no ranking, sublinhando que a classificação mostra que as organizações internacionais reconhecem as vantagens de hardware e software de Macau em termos da realização dos eventos, bem como a sua competitividade como mercado de convenções.

      De acordo com o relatório, Macau registou uma subida significativa, face a 2022, no seu posicionamento em relação ao desempenho no mercado de convenções internacionais, mas ainda não voltou ao ranking alcançado em 2019, quando o território ocupou a 12.ª posição entre as cidades da Região Ásia-Pacífico.

      Em termos do ranking global, a RAEM ficou no ano passado na 107.ª posição entre as cidades mundiais com o acolhimento de 22 convenções, subindo 185 posições em comparação com o ano de 2022. Contudo, é de notar que em 2019, antes da pandemia, Macau ascendeu à 48.ª posição no ranking mundial, classificando-se nos TOP 50 das cidades mundiais para convenções internacionais.

      O relatório da ICCA revelou ainda que Singapura ficou no primeiro lugar na Ásia-Pacífico, seguido por Seul e Tóquio. Na classificação mundial, Singapura ficou em segundo lugar, atrás de Paris e acima de Lisboa, sendo que Seul ficou em 10.º lugar, Tóquio em 13.º, Banguecoque em 15.º e Taipé em 23.º.

      Na ocasião, os membros da Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições, citado por um comunicado do IPIM, mostraram-se satisfeitos com a melhoria da classificação de Macau na ICCA, o que “demonstra que os trabalhos estão a ser promovidos de forma internacionalizada”.

      Lei Wai Nong, secretário para a Economia e Finanças, por sua vez, referiu que há uma série de eventos de reuniões, incentivos, conferências e exposições (MICE) a serem realizadas em Macau este ano. Destacou que a 6.ª Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa acabou de concluir em Abril, à qual nove países de língua portuguesa atribuíram grande importância, o que “melhorou praticamente a imagem e a influência internacional de Macau”.

      Vincent U, em declarações ao Canal Macau em língua chinesa, revelou que os eventos MICE em Macau no primeiro trimestre deste ano aumentaram 30% em termos anuais, e no futuro irá aproveitar-se ainda mais a cooperação com a Ilha da Montanha para atrair o acolhimento de mais actividades em Macau, nomeadamente a facilitação de deslocação entre os dois lados com a nova política de emissão de visto de múltiplas entradas.

      Na opinião de Alan Ho, membro da comissão e presidente da Associação dos Sectores de Convenções, Exposições e Turismo, no futuro, Macau pode colaborar com Hengqin para receber eventos que necessitam de locais de grande dimensão, como a exposição de caravanismo ou de campismo. Avançou ainda que o IPIM juntou-se à indústria MICE e às seis concessionárias para concorrer a convenções internacionais, tendo, até ao momento, confirmado a instalação de quatro convenções internacionais que serão realizadas posteriormente.