Edição do dia

Quarta-feira, 19 de Junho, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
29 ° C
29.9 °
28.9 °
94 %
3.6kmh
20 %
Ter
29 °
Qua
30 °
Qui
30 °
Sex
30 °
Sáb
30 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaDia Mundial de África celebrado em Macau com música e dança no...

      Dia Mundial de África celebrado em Macau com música e dança no DD3

      A discoteca DD3, na Doca dos Pescadores, vai servir de palco para mais uma festa em comemoração ao Dia Mundial de África, a 25 de Maio. A cantora Betchy Barros e o DJ Abel Shimelis organizam a terceira edição deste evento através da sua companhia Rootz, que tem vindo a promover a cultura dos vários países do continente africano em Macau. As actuações ao vivo dão início na sala principal da discoteca às 22h30, seguindo depois para o segundo andar às 2h30 da manhã, com kizomba, kuduro, funaná e muito mais.

       

      O dia 25 de Maio é marcado anualmente pela comemoração do Dia Mundial de África. A data será homenageada em Macau com mais uma festa organizada pela companhia Rootz Company Limited, liderada pela cantora Betchy Barros e o músico Abel Shimelis, também conhecido pelo seu nome de palco, Abel X. Com início marcado para as 22h30 este sábado, haverá música e muita diversão, até às 5 da manhã, num belo encontro para todos os que desejam matar a saudade da energia dos ritmos africanos.

      Nesta terceira edição do evento, a organização volta a apresentar actuações com música ao vivo, dança e DJ’s a trazer o melhor dos múltiplos géneros da música africana. Funaná, kizomba, semba, kuduro, afrobeats, por entre muitos outros, esta festança abrirá a pista de dança para quem se atrever nas coreografias típicas, sempre bem acompanhadas pela voz dos dois cantores que fazem parte do elenco de artistas reunidos para a ocasião.

      Os espectáculos estão marcados para às 23h30, com a cantora e compositora guineense Betchy Barros a abrir, com uma performance de 30 minutos que reunirá músicas tradicionais africanas, na sua potente voz, já tão conhecida por entre a comunidade de Macau. Começou a cantar aos 15 anos e em 2020 arrancou com a sua carreira em Macau, após receber um diploma em Performance Musical Profissional em Londres.

      “É importante representarmos a nossa cultura em Macau”, disse a artista ao PONTO FINAL, enquanto chamava a atenção à comunidade de estudantes em Macau vindos de vários países africanos e a oportunidade que também espera providenciar com estes eventos a outros músicas que por cá se encontram. Nesse tom, introduziu Ippy Barbosa, outro cantor que irá prosseguir com o baile, trazendo um bocado de Cabo Verde, para quem tiver a oportunidade de o ouvir. Um dos dois voluntários estudantes que irão dar tudo nesta celebração do dia 25.

      O segundo voluntário, que segue nos ritmos das actuações de um convidado especial secreto, será Silvino Pinho, que entra em acção por volta das 2h30 da manhã com uma selecção própria de músicas de kizomba, a dar início às sessões no Verandah, no segundo andar da discoteca DD3. Também no elenco de DJ’s vão estar presentes DJ Abel X e o convidado especial Alex Coteriano.

      A companhia Rootz pretende divulgar a cultura das diversas comunidades africanas presentes em Macau, não só com ligação à lusofonia, mas também das mais variadas origens por entre os países do continente africano. “Há boas celebrações da cultura africana em Macau, mas não são suficientes e pretendemos contribuir com mais eventos que celebrem a nossa comunidade”, deixou claro Betchy Barros quanto aos objectivos da companhia. O outro elemento do grupo, Abel Shimelis, que é de origem etíope, falou também da relação pessoal que tem com a data especial do Dia Mundial de África. “Foi neste dia, em Adis Abeba, capital do meu país, que o Imperador Haile Salassie reuniu trinta países africanos em 1963 para fundar a Organização da Unidade Africana (OUA), com o objectivo de melhorar a vida de todos os africanos” contou Shimelis.

       

      Dia Mundial de África

       

      A 25 de Maio de 1963, dois terços do continente africano já estava independente das forças coloniais europeias. A fundação da OUA na Etiópia tinha o objectivo principal de ajudar na descolonização dos restantes países africanos, principalmente Angola, Moçambique, África do Sul e Rodésia do Sul.

      Foram estabelecidos os princípios deste encontro numa carta oficial assinada pelos 30 países presentes, debaixo da exclamação de Salassie, que desejava mil anos de existência à organização. Nessa reunião foi declarado o Dia de Libertação de África, que em 2002 passou a ser chamado de Dia Mundial de África, após a OUA ter sido substituída pela actual União Africana, que desde então passou a reunir os 55 países que formam o continente africano.

      O Dia Mundial de África é uma celebração anual do dinamismo do continente africano e simboliza também a determinação dos povos da África no processo de libertação do domínio e exploração estrangeira, do fim do Apertheid, assim como o desejo de um continente mais unido, desenvolvido e livre.

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau