Edição do dia

Quarta-feira, 22 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva fraca
26.3 ° C
27.6 °
25.9 °
94 %
2.1kmh
40 %
Qua
26 °
Qui
27 °
Sex
27 °
Sáb
27 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaHumor, música e palco cheio: Está de volta a sátira dos Dóci...

      Humor, música e palco cheio: Está de volta a sátira dos Dóci Papiaçám

      Os Dóci Papiaçám di Macau estão de volta. Este sábado e domingo, pelas 20h, sobe ao palco do Grande Auditório do Centro Cultural de Macau o espectáculo intitulado “Unga Istrêla ta vem”. O enredo tem a ver com uma disputa entre duas professoras e uma ‘junket’ que tenta rentabilizar a situação. Em palco estará um dos maiores elencos de sempre do espectáculo, adiantou Miguel de Senna Fernandes ao PONTO FINAL. Sobre o pedido das autoridades para verem o guião de antemão, o fundador do grupo indicou que não houve qualquer interferência e afirmou: “A sociedade moderna tem de ter capacidade de aceitar o humor”.

       

      Está de regresso o espectáculo de teatro em patuá dos Dóci Papiaçám di Macau. Este fim-de-semana, dias 11 e 12 de Maio, pelas 20h, “Unga Istrêla ta vem” sobe ao palco do Grande Auditório do Centro Cultural de Macau.

      Este ano, a história gira em torno de uma disputa entre duas professoras e de uma aposta organizada por uma ‘junket’ na miséria, explica ao PONTO FINAL Miguel de Senna Fernandes, fundador e encenador do grupo de teatro: Délia, uma professora humilde e envergonhada que tem um defeito na fala, é acossada por Elvira, uma professora conhecida e ‘bully’. Um despique entre as duas é aproveitado por Giselda, a tal ‘junket’ que precisa de dinheiro rápido, dada a situação actual de fragilidade dos promotores de jogo em Macau. “A aposta está no sangue da população de Macau”, comenta o encenador.

      Este ano, há 21 actores em palco: “É um dos maiores elencos de sempre”. Entre os actores, o destaque vai para a forte presença juvenil em palco. Há cinco crianças, entre os 9 e 11 anos. “Elas portam-se lindamente, eu fico absolutamente maravilhado com aquilo que elas fazem”, diz Miguel de Senna Fernandes.

      A música, tal como nos espectáculos anteriores, estará também em destaque. Ainda não é um musical, mas para lá caminha, confidencia Senna Fernandes. Este ano, a peça vai incorporar seis temas da autoria do próprio fundador dos Dóci. Os vídeos humorísticos apresentados no intervalo, realizados por Sérgio Perez, também se mantêm este ano.

       

      “NÃO HÁ RAZÕES PARA TEMER O HUMOR DOS DÓCI PAPIAÇÁM”

       

      Em Março, depois da apresentação do programa do Festival de Artes de Macau – no qual o espectáculo dos Dóci Papiaçám di Macau está integrado – ficou a saber-se que, este ano, as autoridades exigiram ver os guiões dos espectáculos em antemão. Na altura, Miguel de Senna Fernandes mostrou-se descontente com a situação, assinalando que esta era uma situação inédita desde que começaram a apresentar o teatro em patuá.

      Agora, o encenador indicou que, depois disso, a comissão de avaliação dos espectáculos não disse mais nada e, portanto, não exigiu nenhuma alteração à peça dos Dóci.

      “Compreendo que os espectáculos são subsidiados pelo Governo e que o Governo quer minimamente saber quais são os conteúdos. Eu compreendo isto. [Porém], a entidade competente que convida tem de saber de antemão o que é que pode esperar”, diz, acrescentando: “A questão de fundo é a capacidade de humor e de aceitar o humor. Qualquer sociedade precisa de humor. A sociedade moderna tem de ter capacidade de aceitar o humor”. Em conclusão, atirou: “Não há razões para temer o humor dos Dóci Papiaçám”.