Edição do dia

Sábado, 25 de Maio, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
27.8 ° C
31 °
26.9 °
89 %
4.1kmh
40 %
Sáb
28 °
Dom
26 °
Seg
27 °
Ter
29 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioEconomiaUnião Europeia foi o destino das exportações de Macau com melhor desempenho

      União Europeia foi o destino das exportações de Macau com melhor desempenho

      A Direcção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT) divulgou ontem os resultados do inquérito de conjuntura ao sector industrial exportador no quarto trimestre do ano passado, que mostram que a União Europeia foi o destino das exportações de Macau com a melhor performance. Os dados revelam também que a confiança dos empresários industriais locais nas perspectivas das exportações para os próximos seis meses foi prudente.

       

      A Direcção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT) apresentou ontem os resultados do inquérito de conjuntura ao sector industrial exportador no quarto trimestre do ano passado e, segundo os dados, a União Europeia foi o mercado de destino das exportações de Macau com performance relativamente melhor, apresentando índices de 19,3%. A performance dos mercados dos Estados Unidos da América foi relativamente menos favorável, apresentando índices de -43,7%.

      A DSEDT diz também que, no quarto trimestre do ano passado, “a confiança dos empresários industriais locais nas perspectivas das exportações para os próximos seis meses manteve-se prudente”. O organismo diz que 35,9% dos empresários inquiridos anteciparam uma perspectiva optimista no trimestre em análise, representando uma descida de 11,3 pontos percentuais face ao terceiro trimestre de 2023 (47,2%). De entre estes, os empresários que anteciparam um ligeiro crescimento foram de 35,9%, e nenhumas empresas que previram aumento acentuado.

      Os empresários que anteciparam uma evolução menos favorável foram 52,8%, apresentando uma subida de 1,2 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior (51,6%). De entre estes, 0,5% previram um ligeiro decréscimo e 52,3% apontaram para um forte declínio. Os empresários inquiridos que previram uma situação semelhante aumentaram para 11,3% no trimestre em análise, correspondendo a um crescimento de 10,1 pontos percentuais face ao trimestre anterior (1,2%).

      Os produtos farmacêuticos foram a principal mercadoria exportada de Macau no último trimestre do ano passado. Seguiram-se os equipamentos electrónicos e eléctricos, vestuário e confecções, bebidas alcoólicas e tabaco e produtos alimentares, diz a DSEDT.

      A DSEDT diz que, no trimestre em análise, a duração média mensal da carteira de encomendas detida pelos empresários industriais inquiridos foi de 4,1 meses, representando um aumento de 0,8 meses face ao trimestre anterior. A carteira de encomendas detida pelo sector de produtos farmacêuticos que ocupou o primeiro lugar foi de 6,3 meses, enquanto as carteiras de encomendas detidas pelos sectores de vestuário e confecções, outros produtos não têxteis e equipamentos electrónicos/eléctricos foram de 4,4 meses, 3,2 meses e 2,4 meses, respectivamente.

      No tocante ao mercado de emprego, o número de trabalhadores das empresas industriais inquiridas registou uma redução de 4,9% e 1,6% face ao trimestre anterior e ao período homólogo do ano de 2022, respectivamente. Por outro lado, 69,5% dos empresários inquiridos afirmaram ter enfrentado a situação da insuficiência de trabalhadores, sendo esta percentagem superior à verificada no trimestre anterior (60,2%) e no idêntico período do ano de 2022 (41,9%). Além disso, 81,9% e 81% dos empresários inquiridos dos sectores de produtos farmacêuticos e de vestuário e confecções manifestaram uma procura relativamente notável de trabalhadores.

      De entre os problemas que afectam as actividades de exportação, 73% das empresas exportadoras consideraram o insuficiente volume de encomendas como o maior problema que estavam a encarar, enquanto 57,5% apontaram para os preços mais competitivos praticados no estrangeiro. Quanto às perspectivas para os próximos três meses, de entre as empresas inquiridas, 58,1% preocuparam-se principalmente com o insuficiente volume de encomendas, 57,1% com os preços mais competitivos praticados no estrangeiro.

       

      A.V.

       

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau