Edição do dia

Quinta-feira, 18 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.5 ° C
29.8 °
26.9 °
94 %
3.1kmh
40 %
Qua
28 °
Qui
28 °
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaLivraria independente de Hong Kong fecha portas após advertências do Governo

      Livraria independente de Hong Kong fecha portas após advertências do Governo

      A livraria independente Mount Zero, em Hong Kong, fechou definitivamente portas, depois de denunciar ter sido alvo de uma série de advertências e sanções por parte dos departamentos governamentais. Desde que Pequim impôs a Lei da Segurança Nacional, em 2022, já encerraram cerca de 40 livrarias independentes no território.

      Domingo, dezenas de pessoas entraram e saíram da Mount Zero para se despedirem, uma vez que a direcção da livraria já tinha anunciado no início do ano, apelando à ironia, que teria de fechar devido aos numerosos “elogios semanais” recebidos por parte de vários organismos oficiais.

      Desde a entrada em vigor da lei, o encerramento das cerca de 40 livrarias independentes deixou um vazio na paisagem cultural, enquanto centenas de livros com conteúdos políticos sensíveis foram retirados das bibliotecas públicas, suscitando debates sobre a liberdade de expressão e o acesso à informação na região. Enquanto o Governo e os seus apoiantes defendem a lei como forma de restabelecer a ordem na cidade, os críticos argumentam que resultou numa restrição às liberdades civis.

      Segundo os proprietários, as livrarias que vendem conteúdos politicamente sensíveis ou que são geridas por antigos opositores políticos, jornalistas ou outros apoiantes dos protestos, são permanentemente visitadas por diversos supervisores do Governo.

      Apesar de a maioria dos encerramentos estarem relacionados com uma quebra do negócio, causada pela pandemia da covid-19, a recessão económica e um interesse decrescente na leitura, pelo menos duas livrarias fecharam por pressão política ou devido a um ambiente com menos liberdade, afirmam os meios de comunicação locais, citando os proprietários.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau