Edição do dia

Quarta-feira, 17 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
28.9 °
27.9 °
83 %
4.6kmh
40 %
Qua
28 °
Qui
29 °
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeClubes Rotary de Macau apelam à doação de sangue caucasiano em evento...

      Clubes Rotary de Macau apelam à doação de sangue caucasiano em evento no Nova Mall

      No próximo domingo à tarde, dia 24, o Centro Comercial Nova Mall na Taipa vai acolher uma iniciativa de sensibilização para a doação de sangue. Os Clubes Rotary de Macau pretendem apelar em particular à população caucasiana, já que um número substancial do sangue dos dadores caucasianos pode ser doado universalmente, algo que não acontece no caso da etnia chinesa.

       

      Os oito Clubes Rotary de Macau associaram-se aos Serviços de Transfusão de Sangue de Macau numa iniciativa promotora da doação de sangue que irá ter lugar no Centro Comercial Nova Mall, na Taipa, no próximo domingo, 24 de Março. O evento do “Dia Rotary de Doação de Sangue” decorrerá entre as 14h e 18h no átrio principal do espaço comercial, com bancas informativas e técnicos do Centro de Transfusões de Sangue numa secção resguardada para possibilitar a doação do sangue no local, onde, aliás, os representantes dos oito clubes rotários da cidade irão também eles próprios doar sangue, como têm vindo a fazer em anos anteriores.

      Assegurar um abastecimento suficiente de reservas de sangue na região e apelar a que haja mais pessoas a doar sangue no território são prioridades da instituição de cariz filantrópico. Porque os níveis de reservas de sangue em Macau, de acordo com os dados disponibilizados pelos Serviços de Saúde, encontram-se agora em falta, concretamente quanto ao tipo de sangue O- e A-, o Clube Rotary está a aproveitar a campanha ainda para apelar à doação específica da população caucasiana e todos os dadores dos grupos sanguíneos O-, A-, B- e AB-.

      A instituição esclareceu ontem em conferência de imprensa que o motivo do apelo em específico aos indivíduos caucasianos se prende com o facto de, em média, 150 em cada mil indivíduos de origem caucasiana terem um tipo de sangue RhD negativo, uma vantagem que contrasta com a percentagem de indivíduos de origem chinesa, onde a proporção é de apenas 3 a 5 em mil pessoas. Isto leva a que a contribuição de comunidades de etnias caucasianas seja crucial para assegurar não só os níveis de reserva adequados como também manter uma diversidade e qualidade do sangue recolhido.

      O presidente do Clube Rotary de Macau, João Francisco Pinto, esclareceu aos jornalistas presentes ontem em conferência de imprensa que um número substancial do sangue dos dadores caucasianos pode ser doado universalmente, algo que tem particular relevância “porque o número de caucasianos em Macau não é muito elevado. Já foi antes da pandemia, mas desceu, e agora existem novos caucasianos a virem residir em Macau, por isso queremos apelar aos caucasianos que não são dadores de sangue que passem a contribuir para a causa de forma regular”, frisou.

      Referindo que já desde 2001 que a instituição se dedica à promoção da dádiva de sangue, João Francisco Pinto lembrou que esta será a primeira vez desde o fim das restrições epidémicas que o evento volta a ser público, e a reunir os esforços conjuntos dos oito clubes rotários da cidade. A escolha em particular de um espaço comercial numa zona cosmopolita da Taipa foi feita de modo a conseguir-se fazer chegar a mensagem a um segmento da população que o responsável diz ser um dos segmentos-chave, por serem “pessoas jovens, e de uma população diversificada”, para além de terem um “certo rendimento e uma certa qualidade de vida”.

      No entanto, a campanha de sensibilização para a doação de sangue entre “as famílias que vão ao centro comercial no fim de semana num contexto de lazer, entretenimento, compras e para fazer as suas refeições”, esclareceu ainda o presidente do Clube Rotário de Macau, não ambiciona recolher um número elevado de doações de sangue no próprio dia. “Mais importante do que o número de pessoas que irão dar sangue naquele local, é haver uma transmissão da ideia que pode perdurar nos clientes daquele espaço”.

      O Dia Rotário de Doação de Sangue foi iniciado em 2001 pelo ex-presidente do Rotary Club de Macau e médico Alfredo Ritchie, entretanto falecido. Mais tarde, tornou-se num projecto conjunto abraçado por todos os Rotary Clubs de Macau, em coordenação com os Serviços de Transfusão de Sangue dos Serviços de Saúde de Macau.

      O Distrito 3450 – Área 1 do Rotary International, distrito que abrange Hong Kong, Macau, Mongólia e a província de Guangdong, é composto por um total de oito clubes: Rotary Club da Guia, Rotary Club de Macau, Rotary Club de Hou Kong, Rotary Club de Macau Central, Rotary Club das Ilhas de Macau, Rotary Club da Amizade, Rotary Club da Penha e Rotary Club da Pérola Oriental.