Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
94 %
5.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaRota das Letras termina com sessões de fotografia, cartografia, ilustração, poesia e...

      Rota das Letras termina com sessões de fotografia, cartografia, ilustração, poesia e música

      Para além do concerto de guitarra portuguesa no sábado com Marta Pereira da Costa, o último fim de semana do festival literário contará com o lançamento da Revista Halftone dedicada a António Mil-Homens e do novo livro de fotografia de João Miguel Barros, um recital de Li Bai e Camões, uma sessão para famílias com o cartoonista Rodrigo de Matos e Catarina Mesquita, e outros painéis dedicados a Pessanha, 500 anos da cartografia do território, narrativas no feminino, e ficção baseada em Macau.

       

      O segundo e último fim-de-semana do Festival Literário vai ser preenchido por 12 sessões a preencherem as duas tardes de sábado e domingo, 16 e 17 de Março. No sábado, logo pelas 15h, na sala 1, estará o autor Dong Xi, vencedor do Prémio Mao Dun e do Prémio Lu Xun, que irá partilhar a sua experiência literária com vários autores de Macau em “Errância Sem Fim: os Horizontes Alargados da Narrativa Ficcional”. Yao Jingming, subdirector do festival, descreve Dong Xi como “um dos escritores mais representativos da actualidade”, sendo “reconhecido pela sua invulgar capacidade de contar estórias numa linguagem narrativa própria”.

      À mesma hora, mas na sala 2, Catarina Mesquita, da editora Mandarina, e o cartoonista Rodrigo de Matos convidam pais e filhos a participar numa sessão de criação de uma história improvisada, em que o ilustrador irá desenhar em tempo real enquanto público e moderadora vão construindo a narrativa. A sessão será em português, estando também aberta aos falantes da língua inglesa.

      No mesmo dia, pelas 16h30, Chang-rae Lee, escritor norte-americano de origem coreana e professor de escrita cr­­­iativa na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, apresentará o seu mais recente romance, intitulado “My Year Abroad”, cuja acção decorre parcialmente em Macau. A escrita de Chang-rae Lee, que recebeu o Prémio da Fundação Hemingway pelo seu romance “Native Speaker”, explora temas como a imigração, a assimilação, a história da Coreia e a experiência dos americanos com raízes asiáticas numa América distópica.

      Na sala ao lado, também às 16h30, será a oportunidade de ficar a conhecer o mundo ilustrado de Wang Zumin e Zhu Cong Quian. As palestras do dia 16 prosseguem às 18h com uma sessão dedicada à escrita no feminino, que reunirá autoras de Macau, Hong Kong e da China Continental. Jojo Wong, Ying Zhu e Li Wenli estarão à conversa sobre a escrita como ferramenta de auto-afirmação das mulheres.

      À mesma hora, será a ocasião de ficar a conhecer de perto o trabalho desenvolvido pela exposição que está patente na Casa Garden centrada na história da cartografia de Macau. “500 Anos de Cartografia de Macau” contará com um painel de académicos e estudiosos do tema composto por Marco Duarte Rizzolio, Marco Caboara, Stephen Morgan, Angela Gil, José Alves e José Chui Sai Peng. A sessão será orientada em língua inglesa. O penúltimo dia do festival terá ainda às 21h o concerto de guitarra clássica portuguesa no teatro D. Pedro V com Marta Pereira da Costa, que é acompanhada em palco por João José Pita na sua estreia em Macau.

      Domingo, dia 17 de Março, como vem sendo tradição, será dedicado à apresentação de obras do domínio das artes visuais e, em particular, à fotografia. João Miguel Barros e a associação de fotografia Halftone irão dar a conhecer as suas últimas realizações. Antes disso, logo pelas 15h, Duarte Drumond Braga estará na sala 1 da Casa Garden para apresentar o seu estudo sobre a “China e Macau”, de Camilo Pessanha, recentemente lançado em Portugal. Às 16h30 Duarte Drumond Braga, So Menlin, Huang Lihai, Luojia e Zhu Cong Qian irão homenagear Camões e Li Bai com um recital literário intitulado “Quando Camões encontra Li Bai”, recital que irá certamente deliciar os apreciadores de poesia clássica. Como foi anteriormente referido, também às 16h30, o fotógrafo João Miguel Barros estará na sala 2 para apresentar o seu mais recente livro e viagem interior de instantes fotográficos a preto e branco, “Incidental Moments”.

      Pelas 18h, Peter Rose, advogado norte-americano, fará aqui o lançamento do seu primeiro romance, “The Good War of Consul Reeves”, que tem como pano de fundo o período da Guerra do Pacífico em Macau e a acção do diplomata britânico que soube tirar partido da neutralidade portuguesa para sobreviver à constante ameaça do inimigo japonês. A publicação desta obra é uma iniciativa da editora de Hong Kong Blacksmith Books. Na sala ao lado, também às 18h, Gonçalo Lobo Pinheiro estará à conversa com António Mil-Homens a propósito dos cinquenta anos da carreira do fotógrafo, e da última edição da Revista Halftone, que lhe presta homenagem.

      O Rota das Letras encerra às 19h30 com um actuação de poesia e jazz: “BPM – Morder as Palavras e Saborear o Jazz II” conta com Duarte Drumond Braga, a percussionista Yukie Lai e outros convidados.