Edição do dia

Quarta-feira, 17 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
28.9 °
27.9 °
83 %
4.6kmh
40 %
Qua
28 °
Qui
29 °
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
28 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCultura“Os Lusíadas em quadrinhos” pretende despertar curiosidade sobre a vida de Camões

      “Os Lusíadas em quadrinhos” pretende despertar curiosidade sobre a vida de Camões

      Decorreu no sábado, dia 9, uma sessão intitulada “Mudam-se os Tempos, mudam-se as vontades: as perguntas sem resposta de Luís Vaz de Camões”, que contou com um painel moderado por Sara Augusto e com a presença de Kenneth David Jackson e Felipe de Saavedra, autores e estudiosos da obra do poeta português. Entre estes figurava o ilustrador Fido Nesti e a sua obra de banda desenhada baseada no clássico “Os Lusíadas”. Recordando com os presentes que o estudo de trechos de “Os Lusíadas” é obrigatório nas escolas brasileiras, o autor partilhou que foi a convite da editora Peirópolis que se lançou da adaptação da história para banda desenhada.

      “Foi uma surpresa, porque já se tinham passado tantos anos desde os meus tempos de estudos e tive que ir buscar na memória o que me tinha chamado mais atenção durante a leitura”. Relendo o livro inteiro, selecionou os cantos que lhe despertaram mais a atenção e foi “costurando”. Aludindo-se ao tamanho singelo do livro de BD, diz que este é apenas um “aperitivo”, e não se compara com a dimensão da epopeia original. “É justamente isso, ele funciona como um aperitivo para despertar o interesse dos leitores mais jovens”, que o autor diz terem resistência a livros, e preferirem antes os telemóveis.

      Fido Nesti esclareceu ainda que o texto do livro é em português de Portugal, retirado do original, da primeira edição. A escolha dos episódios foi feita no sentido de resumir as experiências da obra. “Mostra o episódio da Inês de Castro, da ilha dos amores, e do gigante Adamastor. Mostra um pouco da viagem de Vasco da Gama pelas Índias, e do contraponto do velho do Restelo, que sempre achei muito interessante na altura em que estudei a obra na escola”. O autor acrescentou ainda que também quis colocar o próprio Camões como personagem, “falando com o leitor e fazendo a ponte entre um canto e outro”, algo que considerou interessante porque “a vida de Camões é um caso aparte”, e assim os leitores iriam também, para além de “Os Lusíadas”, querer saber e ir desse modo “atrás da vida de Camões, pesquisando sobre o assunto”.