Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
chuva moderada
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
94 %
5.7kmh
40 %
Dom
25 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °
Qui
29 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaBanco da China antecipa novos cortes nas reservas obrigatórias dos bancos

      Banco da China antecipa novos cortes nas reservas obrigatórias dos bancos

      O governador do Banco Popular da China, Pan Gongsheng, antecipou novos cortes nas reservas obrigatórias dos bancos entre os instrumentos que a instituição utilizará para impulsionar a economia.

      Numa conferência de imprensa à margem da sessão anual da Assembleia Popular Nacional (APN), Pan afirmou que o banco central pode dar-se ao luxo de efectuar novas reduções na percentagem de fundos que um banco não pode emprestar, porque a actual média de 7% na China é “ainda elevada” em comparação com outros países.

      No final de Janeiro, as autoridades chinesas anunciaram, de surpresa, a redução das taxas de juro de referência, a fim de libertarem o equivalente a cerca de 130 mil milhões de euros em liquidez de longo prazo para os mercados.

      O director do banco central da China afirmou que o país ainda dispõe de uma “ampla margem de manobra” em termos de política monetária e que a “caixa de ferramentas” à sua disposição continua a ser “profunda”.

      Perante as ameaças de deflação decorrentes da baixa procura na China, o governador disse que a instituição vai também concentrar-se na tentativa de estabilizar e aumentar os preços.

      A política monetária da China “continuará a equilibrar as expectativas de curto e longo prazo, a mitigar os riscos, a ter em conta o ambiente interno e externo, a criar um ambiente previsível e a manter os preços a níveis estáveis”, disse o governador, citado pelo jornal de Hong Kong South China Morning Post.

      Sobre a taxa de câmbio da moeda chinesa, o yuan, Pan disse que esta pode ser mantida numa “estabilidade básica” este ano devido à possível mudança de tendência entre os principais bancos centrais, à inércia mais lenta do índice do dólar ou à “melhoria” dos fundamentos da economia chinesa.

      Na conferência de imprensa, Pan revelou ainda a criação de dois novos instrumentos de crédito para apoiar a inovação tecnológica e apontou também para uma maior restritividade do crédito para os setores com excesso de capacidade.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau