Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
25.9 ° C
26.9 °
25.9 °
94 %
4.6kmh
40 %
Qui
26 °
Sex
28 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
24 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioCulturaDesfile Internacional regressa depois da pandemia com 17 grupos internacionais

      Desfile Internacional regressa depois da pandemia com 17 grupos internacionais

      Este ano, o Desfile Internacional de Macau celebra 10 anos, trazendo a Macau mais 1.800 artistas, com 64 grupos performativos da região e 17 de Portugal, Brasil, Moçambique, Togo, França, Espanha, Noruega, Reino Unido e Itália. No sábado, dia 24 de Março, gigantões, personagens em andas e outras instalações móveis, irão encher as ruas de “amor, paz e integração cultural”.

       

      Foi apresentado ontem o programa do Desfile Internacional de Macau, numa edição que este ano celebra 10 anos, depois da pausa de quatro anos devido à pandemia. Organizado pela primeira vez de forma conjunta pelo Instituto Cultural (IC) com as seis concessionárias de jogo, está agendado para decorrer no sábado, dia 24 de Março, com diversas actividades paralelas a preencher a semana que antecede o dia do desfile.

      O evento este ano aumentou em dimensão, mas não em orçamento, indicou ontem aos jornalistas a presidente do Instituto Cultural (IC), Leong Wai Man, durante a conferência de imprensa, conseguindo-se reduzir para 7 milhões de patacas um orçamento que na última edição, em 2019, foi de 23,3 milhões de patacas, uma redução de custos que foi possível graças ao apoio das concessionárias. Adoptando o lema de “Amor, Paz e Integração Cultural”, o certame este ano é inserido nas comemorações do 25.º aniversário da transferência de Macau à China.

      Este terá um total estimado de cerca de 1.800 artistas de mais de 80 grupos, em que 64 são de Macau, Hong Kong e Shenzhen, e 17 de países como Portugal, Brasil, Moçambique, Togo, França, Espanha, Noruega, Reino Unido e Itália. Das actuações internacionais, os organizadores destacaram artistas como Dulce Duca, uma artista portuguesa que cria espectáculos surrealistas que aliam malabarismo em patins e teatro de rua, numa combinação que o IC promete que irá fazer o público rir. Também se fez referência à actuação da Associação Marionetes Gigantes de Moçambique, que marcou presença na Parada de Paris de 2019. A França trará ao território dois criativos mascarados de dodós e um mundo branco de balões e trajes elegantes, e de Espanha virão animais aquáticos que farão o público sentir “como se estivesse no fundo do mar”, entre muitas outras figuras mascaradas. Quanto ao percurso do desfile em si, este irá arrancar a partir das Ruínas de São Paulo, às 15h, prosseguindo para o Largo do Senado e outras zonas do centro da cidade até chegar à praça do Lago Sai Van, onde a actuação final decorrerá às 18h30.

      Aos jornalistas, Leong Wai Man explicou ainda a razão para se ter mudado a realização do desfile para esta época do ano, contrariamente ao que ocorreu nas edições anteriores, em que o certame decorria em Novembro. Para a responsável, o período do fim do ano já está preenchido com diversas actividades, e esta mudança para o “tempo da Primavera” permite que os visitantes conheçam “a brisa” que corre no território nesta estação, para além de passar a marcar o início de ano com um “evento de grande escala”.

      Voltando aos detalhes do programa, foi ainda divulgado que esta edição contará ainda com a introdução de dois novos programas: o “Desfile de Instalações Artísticas de Grande Dimensão”, que apresentará instalações portáteis, como fantoches gigantes e mochilas gigantes de entrega de comida, e o “Desfile de Planeamento Especial”, em que será apresentada uma série de criações resultantes de iniciativas colaborativas de equipas de artistas de diferentes domínios, provenientes de Macau, da Grande Baía e de outras regiões.

      Na zona da Avenida Panorâmica do Lago Nam Van, está ainda prevista a “Festa do VIVA” com vários jogos, workshops, cabines com tecnologias interactivas e instalações de criação de videoclipes, com os artistas vestidos em trajes a interagirem com o público na Avenida Doutor Stanley Ho. Quanto ao espectáculo de encerramento, na Praça do Lago Sai Van, será uma “extravagante apresentação de ‘Amor, Paz e Integração Cultural’ destinada a comemorar o regresso de Macau à pátria”, apresentação que será feita de forma imersiva recorrendo a tecnologias digitais.

      No dia anterior ao desfile, a 23 de Março, está prevista uma festa de arte de rua no Largo de S. Domingos e na Praça de Jorge Álvares, que funcionará como uma “amostra” do desfile. O IC indicou ainda que o evento será transmitido em directo entre as 15h e as 19h através dos canais da TDM, e serão ainda instalados ecrãs para transmissão directa ao vivo no Jardim de Iao Hon, na Área de Lazer do Edifício Lok Yeung Fa Yuen, na Rotunda de Carlos da Maia, na Rua de D. Belchior Carneiro e no Espaço lateral junto ao Jardim da Cidade das Flores, na Rua de Coimbra da Taipa. No dia do desfile, será implementado um mecanismo de controlo de entrada e saída de multidões e serão encerradas algumas ruas, pelo que se aconselha o público a deslocar-se a pé ou a utilizar os transportes públicos para chegar às zonas do evento.