Edição do dia

Domingo, 21 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
céu pouco nublado
24.9 ° C
24.9 °
24.9 °
94 %
5.1kmh
20 %
Sáb
26 °
Dom
26 °
Seg
25 °
Ter
25 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioSociedadeElsie Ao Ieong quer que problema de idosos isolados seja “completamente resolvido”

      Elsie Ao Ieong quer que problema de idosos isolados seja “completamente resolvido”

      Reagindo ao caso recente do falecimento de duas idosas em casa que ficaram quase um ano sem serem descobertas, a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura assegurou que está a procurar meios diferentes para descobrir os idosos isolados. Elsie Ao Ieong espera “resolver completamente” o problema e sugere o uso de tecnologia para detectar situações eventualmente perigosas relativamente aos idosos. Por outro lado, a governante adiantou que no ano passado mais de 5,2 milhões de pessoas beneficiaram de diversos serviços sociais em Macau.

       

      O Governo está à procura de diferentes resoluções para descobrir os idosos isolados, pretendendo ter contacto com esse grupo necessitado através da tecnologia e análise de dados de serviços sociais, admitiu a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong, em resposta ao recente caso de morte de duas idosas numa fracção na Calçada do Cemitério, que foi descoberto um ano depois do sucedido.

      Elsie Ao Ieong expressou vontade de resolver o problema dos idosos isolados “de diferentes aspectos” e espera que “o problema possa ser resolvido completamente”. Lamentando o caso referido, a governante, que falava à margem de um almoço de Primavera para o sector do serviço social realizado ontem pelo Instituto de Acção Social, lamentou o tempo que levou até se ter detectado o caso.

      Em Macau, este já não é o primeiro caso de falecimento do cuidador e a pessoa que necessita de cuidados. Em 2022, registou-se um caso idêntico de morte, um idoso de 74 anos e a sua irmã cuidadora, de 78 anos, numa habitação situada na Rua da Penha.

      “Após o surgimento de casos semelhantes no passado, temos vindo a pensar em como quebrar as barreiras de dados entre vários departamentos governamentais. Por exemplo através do subsídio para idosos, pensão para idosos, serviços sociais, sistema de saúde e até contacto por amigos e familiares, para descobrir os idosos que têm menos contacto com a comunidade ou que vivem mais isolados”, apontou. Elsie Ao Ieong disse estar confiante na coordenação interdepartamental no âmbito da partilha de dados para encontrar mais idosos isolados.

      A secretária propôs também dar poder aos serviços competentes para entrar nos apartamentos dos idosos quando for necessário. “Tomando como exemplo a Habitação Social, vamos ver se é possível comunicar com o Instituto de Habitação para pedir permissão aos inquilinos que assinaram previamente um documento de consentimento, deixando assim o organismo ter uma chave de reserva para entrar na residência quando necessário”, sugeriu. Mas a governante salientou que a primeira coisa a fazer é comunicar com os residentes interessados, para obter um consenso.

      Uma outra medida que as autoridades estão a estudar é usar o meio tecnológico para detectar eventuais situações problemáticas dos idosos. Segundo Elsie Ao Ieong, é possível ter uma ligação aos telemóveis dos idosos, e quando o telemóvel estiver sem actividade durante um dia, pode ser definido como uma situação de problemas com o utilizador, podendo as autoridades competentes tomar a iniciativa de contactar ou encontrar o utilizador para compreender a situação.

       

      MAIS APOIO FINANCEIRO, MAIS UTENTES

       

      Por ocasião do almoço de Primavera para o sector do serviço social, intitulado “Celebramos juntos o 25.º aniversário do retorno de Macau à Pátria e unimo-nos na criação do futuro”, Elsie Ao Ieong destacou no seu discurso de abertura que o Governo “dá sempre prioridade” à melhoria da vida da população e à atenção aos grupos vulneráveis.

      Avançou que o montante do apoio financeiro concedido às instituições de serviço social aumentou de 100 milhões de patacas no início da criação da RAEM para mais de 1,6 mil milhões de patacas em 2023, um valor 15 vezes superior em termos de aumento. O número de pessoas que beneficiam dos diversos serviços sociais registou, paralelamente, um aumento de 64 vezes, passando de 80 mil anuais em 1999 para mais de 5,2 milhões no ano passado.

      “O nível dos serviços sociais é um indicador importante que avalia o progresso social de um país ou região. No futuro, o Governo da RAEM irá continuar a cooperar com o sector do serviço social para assegurar o bem-estar dos grupos vulneráveis e, em simultâneo, empenhar-se em prestar serviços sociais profissionais e de alta qualidade”, garantiu.

       

      Hospital das Ilhas trata exames de especialidade a partir de Março

       

      O Hospital das Ilhas vai começar a prestar serviços de exames de especialidade a partir do próximo mês, mas só para os casos transferidos do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ). De acordo com a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong, o arranque de serviço é para ajudar a desviar os trabalhos do CHCSJ e visa tratar os serviços com mais tempo de espera. Neste caso, alguns casos de exames de especialidade vão ser entregues ao novo hospital e, a partir de Maio, o novo hospital vai prestar serviços a consultas de especialidade, também a casos transferidos do CHCSJ. A secretária frisou que o Hospital das Ilhas vai ajudar inicialmente no tratamento dos exames de Imagiologia, uma vez que esta especialidade no CHCSJ conta com mais utentes nas filas de espera.