Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
trovoada com chuva
26.9 ° C
26.9 °
24.9 °
89 %
2.1kmh
40 %
Sáb
27 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaTaipé acusa Pequim de interceptar barco turístico perto da China continental

      Taipé acusa Pequim de interceptar barco turístico perto da China continental

      Taiwan acusou ontem a China de interceptar um barco turístico taiwanês junto às ilhas Kinmen, perto da China continental, uma semana depois da morte de dois chineses num incidente com a guarda costeira taiwanesa.

      De acordo com a guarda costeira de Taiwan, o navio King Xia, com 11 tripulantes e 23 passageiros a bordo, navegava a cerca de cinco quilómetros a noroeste da ilha principal do arquipélago das Kinmen quando foi interceptado por dois navios da guarda costeira da China, às 16:47 de segunda-feira. As ilhas Kinmen ficam, no seu ponto mais próximo, a dez quilómetros da cidade de Xiamen, no sudeste da China continental.

      De acordo com a agência de notícias pública taiwanesa CNA, seis membros da guarda costeira chinesa entraram no King Xia e inspeccionaram os documentos da tripulação, antes de regressarem aos seus navios cerca de meia hora depois.

      Em resposta, a guarda costeira de Taiwan enviou um navio para escoltar o King Xia, que aparentemente se desviou da rota original devido à elevada concentração de bancos de areia na área.

      A guarda costeira de Taiwan pediu à China que trabalhe em conjunto para “manter a tranquilidade” nas proximidades das Kinmen e de Xiamen e apelou aos operadores taiwaneses de barcos turísticos que evitem aproximar-se da costa chinesa.

      O incidente “feriu os sentimentos do nosso povo, criou pânico entre as pessoas e não era do interesse das pessoas de ambos os lados do Estreito de Taiwan”, lamentou ontem a responsável taiwanesa com a tutela dos Assuntos Marítimos, Kuan Bi-ling.

      O responsável pela pasta da Defesa de Taiwan indicou ontem que o exército não se iria envolver, para “evitar uma guerra”. “Se interviermos, o conflito irá aumentar, o que não queremos”, disse Chiu Kuo-cheng aos jornalistas. “Vamos resolver a questão pacificamente”, insistiu. O primeiro-ministro taiwanês Chen Chien-jen disse que Taipé estava a tentar acalmar as tensões na zona das Kinmen.

      No domingo, a guarda costeira da China anunciou patrulhas na zona entre Xiamen e as Kinmen para “proteger as vidas e propriedades dos pescadores”, em resposta à morte de dois chineses num incidente em 14 de Fevereiro.

      Nesse dia, a guarda costeira de Taiwan detectou uma lancha, com quatro pessoas a bordo, a cerca de dois quilómetros a leste de Beiding, uma das ilhas mais pequenas do arquipélago das Kinmen.

      Os agentes taiwaneses ordenaram à tripulação que parasse a embarcação para inspecção, mas o barco acelerou, tendo depois capotado, provocando a morte de duas pessoas que estavam a bordo. Os dois sobreviventes foram detidos em Taiwan.

      A imprensa oficial da China afirmou que se tratava de um navio de pesca, enquanto Taiwan não deu qualquer informação sobre a identidade da tripulação. Pequim acusou Taipé de tratar os pescadores chineses de uma forma “agressiva e perigosa”, embora Taiwan insistisse que a guarda costeira procedeu “de acordo com a lei”.

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau