Edição do dia

Sexta-feira, 19 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
25.2 ° C
27.9 °
24.9 °
88 %
0.5kmh
40 %
Qui
26 °
Sex
27 °
Sáb
28 °
Dom
25 °
Seg
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioGrande ChinaPequim assinala quinto aniversário da Grande Baía e pede mais desenvolvimento de...

      Pequim assinala quinto aniversário da Grande Baía e pede mais desenvolvimento de alta qualidade

      Há cinco anos foi anunciada pelo Governo Central a construção da Grande Baía, sendo um projecto “planeado, implementado e promovido directamente por Xi Jinping”, destacaram os meios de comunicação social chineses na ocasião do respectivo aniversário. Segundo salientam o Diário do Povo e a CCTV, o líder do país espera um “desenvolvimento de alta qualidade” da zona e quer consolidar a posição de Macau e Hong Kong em termos de finanças internacionais, comércio e tecnologia.

       

      Assinalou-se no passado domingo o quinto aniversário da promulgação das Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. Na ocasião, vários meios de comunicação social oficiais do interior da China reiteraram a esperança de Xi Jinping sobre a Grande Baía e apelaram novamente para “agarrar as grandes oportunidades” do desenvolvimento da zona.

      O canal de notícias da CCTV, principal rede de televisão da República Popular da China, sublinha que a Grande Baía é uma das regiões mais importantes da cadeia industrial da China, apontando o facto de que a construção dessa zona é uma “importante estratégia nacional” que foi “planeada, implementada e promovida directamente por Xi Jinping”.

      “Nos últimos cinco anos, sob as condições de um país, dois sistemas, três zonas aduaneiras e três moedas, a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau deu passos sólidos na sua construção e está a tornar-se cada vez mais um dos polos de crescimento mais promissores do mundo”, aplaude.

      A CCTV fez ainda uma retrospectiva das “instruções importantes” do Presidente da RPC em várias ocasiões sobre o projecto da Grande Baía, onde sublinhou a necessidade de “aproveitar plenamente” as vantagens e as características de Macau e Hong Kong como uma das medidas para desenvolver a zona.

      “Deve-se consolidar e reforçar o estatuto de Macau e Hong Kong em matéria de finanças, comércio, transportes marítimos e aéreos, inovação e tecnologia, cultura e turismo a nível internacional, aprofundando a interação e a cooperação mais abertas e estreitas de Hong Kong e de Macau com outros países e regiões”, enfatizou o líder da China, acrescentando que é preciso “desenvolver e reforçar o poder do patriotismo” em Macau e Hong Kong para formar “uma frente unida mais alargada no país e no estrangeiro em apoio de ‘Um País Dois Sistemas’”.

      Xi Jinping, da mesma forma, propôs fazer da Grande Baía um “pivô estratégico do novo padrão de desenvolvimento, um local de demonstração para o desenvolvimento de alta qualidade e um local líder para a modernização ao estilo chinês”. A sua ambição pretende ainda que seja promovida a zona como uma “área de baía de classe mundial” e um “cluster de cidades de classe mundial”. Neste caso, citado pela CCTV, Xi Jinping instou os sectores das duas regiões de administração especial para serem mais activas na integração na conjuntura nacional, mas também na promoção do intercâmbio internacional e na abertura do país.

      Por sua vez, o portal online do Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista da China, assinalou que Xi Jinping tem uma “preocupação persistente” com a Área da Grande Baía, o que pode fornecer “orientações fundamentais” para o “planeamento de alto nível” da Grande Baía. “Com menos de 1% da superfície terrestre do país e 5% da sua população, a Grande Baía gerou 11% da produção económica total nacional, sendo uma das regiões mais abertas e economicamente dinâmicas da China”, disse.

      Já a Rádio The Greater Bay, subordinada da empresa estatal China Media Group, referiu que a vida transfronteiriça entre as cidades da Grande Baía é uma “nova normalidade”, acrescentando que cerca de 2,1 milhões de turistas do Continente visitaram Macau e Hong Kong durante as férias do Ano Novo Lunar. A emissora disse acreditar que Guangdong, Hong Kong e Macau aproveitarão as oportunidades para alcançar um melhor desenvolvimento da Grande Baía, a fim de dar “novos e maiores contributos” para a pátria.