Edição do dia

Sábado, 20 de Abril, 2024
Cidade do Santo Nome de Deus de Macau
nuvens dispersas
27.9 ° C
28.9 °
27.9 °
83 %
4.6kmh
40 %
Sáb
28 °
Dom
27 °
Seg
24 °
Ter
24 °
Qua
25 °

Suplementos

PUB
PUB
Mais
    More
      InícioInternacionalMais de 400 detidos em homenagens após morte de Navalny

      Mais de 400 detidos em homenagens após morte de Navalny

      Mais de 400 pessoas foram detidas na Rússia enquanto prestavam homenagem ao líder da oposição Alexei Navalny, que morreu numa remota colónia penal no Ártico, informou um importante grupo de defesa dos direitos humanos. A morte súbita de Navalny, aos 47 anos, foi um golpe para muitos russos, que tinham depositado as suas esperanças para o futuro no inimigo mais feroz do Presidente Vladimir Putin. Navalny manteve-se firme na sua crítica implacável ao Kremlin, mesmo depois de ter sobrevivido a um envenenamento por um agente nervoso e de ter sido condenado a várias penas de prisão. A notícia da sua morte repercutiu-se em todo o mundo e, na sexta-feira e no sábado, centenas de pessoas em dezenas de cidades russas acorreram com flores e velas a memoriais e monumentos improvisados em homenagem às vítimas da repressão política. Em mais de uma dúzia de cidades, a polícia deteve 401 pessoas até à noite de sábado, de acordo com o grupo de defesa dos direitos humanos OVD-Info, que acompanha as detenções políticas e presta assistência jurídica. Segundo o grupo, foram efectuadas mais de 200 detenções em São Petersburgo, a segunda maior cidade da Rússia. Os tribunais de São Petersburgo ordenaram que 42 das pessoas detidas na sexta-feira cumprissem de um a seis dias de prisão, enquanto nove outras foram multadas, disseram no sábado funcionários do tribunal. Em Moscovo, pelo menos seis pessoas foram condenadas a cumprir 15 dias de prisão, segundo o OVD-Info. Uma pessoa também foi presa na cidade de Krasnodar, no sul do país, e outras duas na cidade de Bryansk, informou o grupo.

      A morte de Navalny aconteceu um mês antes das eleições presidenciais na Rússia, que deverão permitir mais seis anos no poder ao Presidente Vladimir Putin. As dúvidas sobre a causa da morte persistiam e não se sabia quando é que as autoridades iriam entregar o corpo à família. A equipa de Navalny afirmou no sábado que o político foi assassinado e acusou as autoridades de atrasarem deliberadamente a libertação do corpo, tendo a mãe e os advogados de Navalny recebido informações contraditórias de várias instituições onde se deslocaram para recuperar o corpo. “Tudo ali está coberto por câmaras na colónia [penal]. Cada passo que ele deu foi filmado de todos os ângulos durante todos estes anos. Cada empregado tem um gravador de vídeo. Em dois dias, não houve uma única fuga de informação ou publicação de um vídeo. Não há espaço para incertezas aqui”, disse hoje o aliado mais próximo e estratega de Navalny, Leonid Volkov. Uma nota entregue à mãe de Navalny afirma que ele morreu às 14:17 de sexta-feira. Os funcionários da prisão disseram no sábado à mãe do opositor russo que o filho tinha morrido de “síndrome de morte súbita”, escreveu Ivan Zhdanov, director da Fundação Anticorrupção de Navalny, na rede social X.

       

      Ponto Final
      Ponto Finalhttps://pontofinal-macau.com
      Redacção do Ponto Final Macau